Road trip de 1 semana pelos Balcãs | Roteiro, dicas e gastos

Road trip de 1 semana pelos Balcãs | Roteiro, dicas e gastos

Há muito que sonhávamos em visitar os Balcãs, e foi bastante difícil elaborar o itinerário, pois eram muitos os sítios que queríamos visitar e pouco o tempo para fazê-lo. Mas uma coisa é certa, não estávamos preparados para o que vimos. Pode parecer exagerado, mas fomos surpreendidos todos os dias. Uma roadtrip épica que conseguiu superar diariamente todas as nossas expectativas e que recomendamos a todos, daquelas viagens que deviam estar na Bucket List de qualquer um.

Optamos por iniciar e finalizar a viagem em Dubrovnik por 2 motivos, o primeiro foi ter encontrado voos por 90€ ida e volta Barcelona-Dubrovnik, o segundo porque queríamos principalmente visitar o Montenegro e Dubrovnik foi o ponto de partida ideal. Ponderamos começar a viagem em Dubrovnik e acabar em Zagreb, mas os voos ficavam bastante mais caros e tínhamos de pagar uma taxa de 100€ por entregar o carro num aeroporto diferente. Mas teria sido obviamente mais prático iniciar em Dubrovnik e acabar em Zagreb.

 

O NOSSO ITINERÁRIO PELOS BALCÃS

 

 

10 DICAS PARA ORGANIZAR UMA VIAGEM PELOS BALCÃS

Segundo a informação do Portal das Comunidades Portuguesas não é preciso visto para os cidadãos dos países do Acordo de Schengen, sendo apenas necessário B.I./CC ou passaporte válido por 6 meses para entrar nos 3 países que visitamos (Croácia, Montenegro e Bósnia-herzegovina).

A moeda do Montenegro é o Euro, a da Croácia é o Kuna e a da Bósnia-Herzegovina o Marco. Contudo, é possível pagar em euros nos principais locais turísticos da Croácia e da Bósnia-Herzegovina. Acabamos por pagar tudo em euros nos locais que visitamos na Bósnia-Herzegovina, até chegamos a comprar fruta a pequenos vendedores que se encontravam na beira da estrada, sem problema. Na Cróacia foi preciso trocar euros em casas de câmbio, pois não aceitam euros com tanta facilidade.

Alugamos carro pela Autoeurope com a companhia CarWiz que recomendamos a 100%. Reservamos uns 4 meses antes da viagem no site da Autoeurope e optamos por pagar logo para usufruir da promoção. Pagamos apenas 90€ para 8 dias + 70€ para poder atravessar fronteiras, o carro era novo (um Renault Clio) a diesel e com GPS. O valor mencionado inclui a Super Cover com reembolso de franquia da Autoeurope. A CarWiz fica mesmo em frente ao aeroporto de Dubrovnik, entregaram o carro em menos de 30 min e devolvemos o carro em apenas 5 minutos. Bloquearam 1000€ no nosso cartão de crédito como caução e apesar de termos devolvido o carro (mais uma vez) todo sujo (mesmo muito sujo) não reclamaram e esse valor foi desbloqueado 3 dias após a entrega do carro. O único defeito da CarWiz é a política do depósito de zero para zero, ou seja, entregaram-nos o carro com a reserva a zero, e tínhamos de o entregar da mesma forma. Obviamente que não é tarefa fácil adivinhar o quanto íamos gastar e acabamos por deixar 1/4 do depósito.

Supostamente o GPS é uma opção bastante cara aquando do aluguer do carro, por isso não pedimos GPS (mas o nosso carro vinha equipado com ele gratuitamente!). No entanto, essa sorte pode não acontecer a todos. O que fizemos (antes de descobrir que o GPS funcionava) foi carregar os mapas dos 3 países no Google Maps quando ainda estávamos em Portugal. Os mapas ficam assim disponíveis offline. Antes de sair do hotel, colocávamos todas etapas do nosso dia no Google Maps e depois era só seguir as indicações. Já tínhamos feito isso no México e funcionou 5*. O único defeito é que o Google Maps, por vezes, inclui trajectos por estradas mais longas, criando desvios desnecessários, mas basta estarem atentos! Por exemplo, na estrada entre o Durmitor e Mostar, queria fazer-nos virar à direita por uma estrada que voltava um pouco para trás, mas o meu fantástico co-piloto reparou que se seguíssemos sempre em frente íamos ter exatamente ao mesmo sítio sem desvios, e assim fizemos. 

As estradas são relativamente boas, iguais às nacionais de Portugal, com muitas curvas, sendo necessário ter alguma paciência e cuidado, pois há sempre aqueles espertinhos que ultrapassam mesmo não tendo visibilidade. Tivemos de travar por 2 vezes por causa de carros que vinham de frente, nada de assustador porque íamos devagar. Na Croácia existe uma autoestrada que percorre toda a costa, sendo possível pagar as portagens em kunas, euros ou com cartão multibanco. Apanhamos uma estrada em obras no Montenegro, bastante chato pois quando os montenegrinos decidem fazer obras, fazem obras por vários kms, tivemos de andar uns 10 kms numa estrada sem alcatrão a 15-20km/h. Mas quando ficar tudo pronto, as estradas vão ser espectaculares. Os tempos indicados pelo google maps não falharam. 

Cuidado com os radares! Apanhamos radares em sítios totalmente improváveis no Parque Durmitor e vários outros sítios do Montenegro.

Passar as fronteiras é bastante tranquilo. Pediram apenas o passaporte e por vezes pediam os documentos do carro. A fronteira mais demorada foi a primeira, quando íamos de Dubrovnik para o Montenegro, demoramos mais de 1h devido ao trânsito que se acumulou na fronteira.

Escolham hotéis com estacionamento, principalmente nas cidades como Dubrovnik, Split, Sibenik… É muito difícil encontrar lugar para estacionar e são todos a pagar. No parque Durmitor já é mais fácil estacionar.

Façam seguro de viagem pela World Nomads! Tivemos um pequeno stress antes da viagem, o nosso voo da TAP para Barcelona atrasou-se imenso e podíamos não ter apanhado o nosso voo de ligação para Dubrovnik.  Como compramos os voos em companhias separadas, não íamos ter qualquer tipo de reembolso e teríamos de comprar um novo voo por conta própria. E pela primeira vez, não fizemos seguro pela World Nomads, optamos por fazer um seguro mais barato que cobria apenas despesas médicas… Enquanto esperávamos por notícias da TAP, comecei a pesquisar seguros que cobrissem este tipo de situação e foi aí que percebi. Não existe melhor seguro que o da World Nomads. Além de cobrir 100% das despesas médicas, cobre atrasos, cancelamentos de voos e até reembolsam valores já pagos de hotéis e atividades, que seria o nosso caso se não conseguíssemos apanhar o voo de ligação. Por isso, pensem duas vezes antes de viajar sem seguro, mesmo para países tão próximos!

 Se tencionam fazer praia no mar adriático, levem calçado próprio para este tipo de praia para não se magoarem nos pés, pois a grande maioria das praias não têm areia, mas sim pedras. Compramos os nossos na Decathlon –> Calçado Aquático

Dia 1 | Dubrovnik

Chegamos às 8h45 ao aeroporto de Dubrovnik, como já disse demoramos menos de 30 min para recuperar o nosso carro alugado e fomos diretamente fazer check-in no nosso hotel para deixar o carro e passear a pé pela cidade antiga. Começamos por descobrir a Old Town a pé, passeamos pelas numerosas ruelas entrando em algumas igrejas. É preciso contar com pelo menos 2h para passear com calma. O calor começou a apertar e optamos por ir a pé até a praia de Dubrovnik, Banje (10 min a pé desde a extremidade este da Old Town). Uma linda praia de água cristalina, não tem areia, mas sim pedrinhas que nos fizeram lembrar as praias de Nice.

Já refrescados pelos vários mergulhos, dirigimo-nos até à entrada das muralhas (só vimos 2 entradas, uma na extremidade oeste, por onde toda a gente entra, e uma na extremidade este, menos conhecida). Ao regressar da praia estávamos mais perto da porta este, melhor! A meio, optamos por parar num bar (Cafe on the Wall) com uma vista incrível sobre o mar adriático, as bebidas não são baratas, mas a vista vale a pena.

O nosso artigo sobre esta etapa: Visitar Dubrovnik | Guia e Dicas de viagem

 

DUBROVNIK – Onde dormir?

  • Guest House Anica – a 10 min a pé da Old Town, com parque de estacionamento gratuito. Quarto duplo com casa de banho partilhado com apenas mais um casal e uma cozinha à disposição. Tem um pequeno jardim com mesas, muito agradável. A anfitriã foi super simpática, é possível pagar em euros ou kunas. Há um supermercado PEMO a 5 min a pé em direcção à Old Town. 37,80€/noite o quarto duplo. Recomendamos a 100%.

Para mais informações e reservas: Guest House Anica

DUBROVNIK – Onde comer?

  • Trattoria Capriccio, comida italiana deliciosa na Old Town. Preço médio para 2 pessoas: 45-50€
  • Tavulin Wine & Art Bar, para umas boas tapas
  • Oyster & Sushi Bar Bota, dizem ser o melhor sushi de Dubrovnik. Não tivemos tempo para comprovar, mas fica no centro da Old Town e quando passamos em frente estavam todas as mesas reservadas.

DUBROVNIK – O que visitar?

  • As muralhas da cidade. Demoras 2h a dar a volta mas paramos a meio num bar com uma vista incrível sobre o mar adriático. Entrada: 150 kunas.
  • Um passeio de kayak. Existem várias empresas em Dubrovnik que propõem aluguer livre de kayak e passeios com guia. Contar no mínimo 25€/pessoa.
  • Ver o pôr do sol no parque Orsula
  • Subir ao miradouro do monte Srd. Antigamente era possível aceder de carro a esse miradouro, agora só é possível ir a pé (sendo a caminhada uma tortura se estiver calor) ou então pagar o teleférico (são espertos os croatas…)
  • Ilha Lokrum, dá para ir de barco até lá e passar uma tarde ou uma manhã (ou até mesmo o dia inteiro) a explorar a pequena ilha. Também dá para ir de kayak e dar a volta à ilha.
  • Miradouro da estrada Jadranska Cesta. Ao sair de Dubrovnik em direcção ao Montenegro paramos nesse miradouro para tomar o nosso pequeno almoço improvisado. E que belo improviso!

Dia 2 | Perast e Kotor

De manhã cedo partimos em direcção a Montenegro, saímos por volta das 9h00 e chegamos ao meio dia a Perast (apanhamos imensa gente na fronteira). A estrada é sempre junto ao mar com vista para o mar adriático e quando entramos finalmente na baía ficamos perplexos, a baía encontra-se rodeada por montanhas que parecem mergulhar na água cristalina. Daqueles momentos que não conseguimos partilhar por imagens ou textos, momentos que devem ser Vividos. Fizemos uma primeira paragem em Perast, onde almoçamos com uma vista privilegiada sobre a baía antes de subir à torre da igreja de St. Nikola. Seguimos depois para Kotor onde passamos a tarde e a noite. Deu largamente tempo para subir às muralhas e passear por todas as ruelas da parte antiga de Kotor.

 

PERAST – Onde Comer?

  • Conte Hotel. A especialidade aqui é o peixe, marisco e carnes grelhadas. Tudo uma delícia mesmo junto à baía. Preço médio para 2 pessoas: 45-50€ (foi o único restaurante caro da nossa estadia em Montenegro, mas valeu sem dúvida a pena).

PERAST – O que visitar?

  • Subir à torre da igreja de St. Nikola. Entrada: 1€ (cuidado com a cabeça!). A igreja em si é gratuita.
  • Visitar a ilha em frente de barco, chamada Our Lady Of the Rocks. 5€ mas penso ser negociável. 

  KOTOR – Onde Dormir?

  • Apartments Simun. Um hotel afastado do centro de Kotor, mas com uma vista incrível sobre a baía. Tem estacionamento gratuito, o quarto era muito espaçoso, com uma (pequena) casa de banho privada, kitchenette, frigorífico, ar condicionado, televisão e Wi-Fi. Escolhemos um quarto com varanda, a diferença de preço é muito ligeira e vale a pena, a fotografia noturna (em cima) foi tirada da varanda. Tomar o pequeno almoço na varanda com vista para as montanhas e a baía de Kotor foi dos nossos momentos favoritos (o pequeno almoço foi preparado por nós, pois o hotel não tem restaurante). Aceitam pagamento em euros e com cartão multibanco. 25,20€/noite o quarto duplo com varanda.

Para mais informações e reservas: Apartments Simun

 KOTOR – Onde Comer?

  • Konoba Scala Santa. Um restaurante lindíssimo (vale a pena entrar),  comemos na esplanada numa praça muito agradável! Foi dos nossos favoritos. Preço médio para 2 pessoas: 15-25€.

 KOTOR – O que visitar?

  • As muralhas da cidade
  • Percorrer as ruelas da parte antiga do centro
  • Igreja St.Tryphon

Dia 3 | De Kotor até o Lago Skadar

Nesse dia percorremos a estrada mais bonita que já vimos, uma estrada com mais de 30 cotovelos bem apertados, com vistas panorâmicas sobre a baía de Kotor. Subimos pelo gigante da natureza que nos parecia tão imponente na véspera. Demoramos quase 2h a percorrer essa estrada porque só nos apetecia parar a cada curva par admirar a beleza desta baía. Subimos até conseguir vislumbrar o mar adriático ao fundo, e toda a baía de Kotor. Se puserem no google maps Kotor–>Lovcén não vos fará passar por essa famosa estrada, irá vos dar um caminho alternativo muito mais longo, não percebemos o porque, pois a estrada é muito boa e larga o suficiente.

Estrada entre Kotor e o parque Lovcén

Recomendamos fazer essa estrada de manhã, começamos por volta das 9h30 e apanhamos apenas alguns carros, motoqueiros e 2 carrinhas com turistas. Se fizerem esse percurso mais tarde poderão apanhar mais trânsito e autocarros maiores, o que irá ser chato sabendo que é praticamente impossível ultrapassar nessa estrada devido aos numerosos cotovelos. 

Seguimos depois viagem até o lago Skadar, outra maravilha da natureza. Partimos de barco desde Virpazar num maravilhoso passeio de 2h atravessando diferentes tipos de paisagens e observando a incrível diversidade da fauna e da flora. Poderão encontrar várias agências, mas recomendamos passar pela pequena empresa familiar, Golden Frog. Essa agência é dirigida por duas irmãs (a Ivana e a Ana) e o pai delas (antigo polícia que optou por mudar de vida e é agora o condutor do barco). A Ivana foi a nossa guia, começou aos 11 anos e é um verdadeiro prazer ouvi-la contar a história do lago, as suas especificidades e a história do seu país. Podem contactá-los através do seguinte e-mail: info@skadarlakecruise.com.

Para mais informações sobre o Lago Skadar vejam o nosso artigo: Montenegro | Lago Skadar

Depois do passeio de barco dirigimo-nos até o parque Durmitor, mais precisamente até Zabljak, onde passamos a noite. Demoramos cerca de 2h a lá chegar desde Virpazar.

 

Dia 4 | Parque Durmitor

Quando achávamos que seria impossível superar a beleza das paisagens do sul do Montenegro, descobrimos o parque Durmitor. A grande surpresa desta viagem, uma autêntica jóia para os amantes de natureza. Um misto entre os Alpes e o Canadá. Nem imaginam o nosso constante espanto ao passear pelas estradas do Durmitor. Começamos por uma caminhada de 3h à volta do “Black Lake”, um lago com vários tons de azul e verde, com cascatas e montanhas imponentes em fundo de tela. Recomendamos começar pelo lado direito, o caminho está melhor sinalizado. 

Seguimos depois as dicas da nossa anfitriã e dirigimo-nos até o miradouro de Curevac. O miradouro é acessível após meia hora de caminhada (1h ida e volta desde o “parking”), e permite ter uma vista panorâmica sobre o maior Canyon da Europa, o Canyon Tara, com o seu rio de um azul turquesa surreal! 

DICA: guardam bem o bilhete que terão de comprar à entrada do parque Durmitor, pois irão pedir novamente para pagar ao chegar a Curevac, se mostrarem esse bilhete não terão de pagar.

Para finalizar o dia, fomos até à famosa ponte sobre o rio Tara, onde é possível fazer Zipline e rafting, mas preferimos admirar esta paisagem singular sentadinhos num bar.

Podem ver muitas outras dicas sobre o Parque Durmitor aqui: Montenegro | Visitar o Parque Durmitor

 ZABLJAK – Onde Dormir?

  • Apartments Grbović. Um maravilhoso apartamento com um quarto espaçoso, uma grande casa de banho, aquecedor, televisão, frigorífico e uma kitchenette. Tem lugar para estacionar dentro (no jardim da casa) e a anfitriã foi incrível connosco, deu-nos imensas dicas e preparou um roteiro para aproveitar-mos ao máximo a nossa estadia. 32€/noite o quarto duplo.

Para mais informações e reservas: Apartments Grbovic

 ZABJLAK – Onde Comer?

  • Restaurant Durmitor onde comemos um churrasco misto com vegetais grelhados deliciosos. Preço médio para 2 pessoas: 15-20€.
  • Konoba Luna, aqui comemos cabrito assado à moda do Durmitor e um bife recheado com queijo e fiambre (especialidade do Montenegro). Preço médio para 2 pessoas: 15-20€

 DURMITOR – O que visitar?

  • Black Lake – Crno Lake. O principal lago do parque Durmitor. O parking custa 2€ e a entrada no parque nacional custa 3€/pessoa por dia e 6€/ pessoa para 3 dias. Não percam esse bilhete.
  • Zminje Lake, pode ser incluído na caminhada à volta do Crno Lake
  • Jablan Lake
  • Miradouro de Curevac. Se não tiverem o bilhete do parque Durmitor poderão comprá-lo aí.
  • Miradouro Bobotov Kuk
  • Ponte sobre o rio Tara
  • Rafting no rio Tara
  • Zipline por cima do rio Tara (10 a 20€/ pessoa)

Dia 5 | Mostar

Partimos de manhã para Mostar, demoramos cerca de 4h para lá chegar por uma estrada repleta de borboletas (sim, centenas e centenas de borboletas voando à nossa frente, incrível!). Fizemos uma breve paragem em Blagaj, a 12 km de Mostar, uma pequena aldeia conhecida pelo seu famoso mosteiro dervixe. Esse mosteiro tem a particularidade de ter sido construído na pedra da montanha de onde nasce o rio Buna, um rio de um azul turquesa extraordinário. O local é lindo, certo, mas a quantidade de restaurantes e vendedores à volta estragam a paisagem, principalmente sabendo que o mosteiro foi construído com o intuito de ser um retiro para dervixes, que procuram viver na austeridade. O “parking” para Blagaj custa 2€, mas podem perfeitamente deixar o carro antes de passar por essa bilheteira improvisada, própria para tramar o turista, depois basta descer a estrada até o mosteiro (cerca de 1 km). Se quiserem apenas ter a vista típica do mosteiro (do outro lado do rio) não terão de pagar nada (por enquanto), nós fomos sempre em frente e passamos por uma bilheteira a achar que era o acesso para atravessar o rio, mas era apenas um bilhete para visitar a loja e parte do mosteiro, não vale a pena! 

Ao chegar a Mostar, ficamos de imediato encantados com a calçada de pedra, a ponte sobre o rio Neretva de água turquesa, o bazar animado e a comida deliciosa! A Bósnia-Herzegovina foi sem dúvida o país onde comemos melhor. Mostar é charmosa, Mostar é acolhedora. As suas ruelas transportam no tempo e as suas paredes contam histórias. 

 

MOSTAR – Onde dormir?

  • Amel’s Apartment. Um magnífico apartamento, bem espaçoso e muito bem equipado com casa de banho privada, kitchenette, frigorífico, ar condicionado, televisão e Wi-Fi. Fica a menos de 5 min a pé do centro histórico, tem uma excelente pastelaria mesmo ao lado e gelados em frente! O único defeito é a casa de banho pequena, o duche fica por trás da porta e não tem base. O Amel ajudou-nos a estacionar o carro que ficou na rua mesmo em frente ao apartamento, o mais próximo possível do muro, portanto não é bem um lugar de estacionamento. 25€/noite o quarto duplo.

Para mais informações e reservas: Amel’s Apartment

 MOSTAR – Onde Comer?

  • Tima Irma. Simplesmente fabuloso! Pratos bem recheados com várias especialidades da Bósnia a um preço bastante agradável, tudo isso no centro histórico! Preço médio para 2 pessoas: 10-15€
  • Hindin Han. não tivemos oportunidade de experimentar, mas falaram-nos bastante bem desse restaurante que também fica no centro histórico.

 MOSTAR – O que visitar?

  • A ponte velha, Stari Most
  • O Bazar junto à ponte, apetece comprar tudo e mais alguma coisa, por isso cuidado!
  • Mesquita Mehmed, vale a pena subir à torre para ter uma vista privilegiada sobre a ponte velha. Entrada: 6€
  • Descer até às margens do rio Neretva, mesmo em frente à ponte. 
  • Café de Alma. Um pequeno café que serve apenas café típico da Bósnia. Aprendemos que o café é muito importante para os Bósnios, é um dos poucos momentos do dia em que podem esquecer todos os seus problemas e obrigações. Explicaram-nos que existem várias maneiras de tomar o café, desde a técnica para o servir, a técnica para misturar a espuma e até mesmo como comer o açúcar (sim, eles comem o açúcar mergulhado no café!).  Um lugar especial, escondido e pouco conhecido.
  • Nos arredores vale a pena visitar: Blagaj, Pocitelj e as cascatas de Kravice. 

Dia 6 | Kravice, Pocitelj e Split

De manhã partimos em direcção à Croácia, paramos em Pocitelj que fica a menos de 30 min de Mostar. O estacionamento é gratuito (por enquanto) e depois é só subir até o forte no topo da colina (gratuito). Havia outras coisas para visitar, incluindo a mesquita e uma torre, mas para nós o mais lindo foi mesmo subir ao forte.

Seguimos depois até as cascatas de Kravice, mais meia hora de estrada e estávamos lá. O parking custa 2€ e a entrada são 3€/pessoa. Não vale a pena ir no pequeno comboio, é mesmo para enganar os turistas, pois o acesso à cascata faz-se muito bem, são apenas 5 min a descer… Estávamos bastante ansiosos por ver esta cascata, seria a nossa primeira grande cascata! Quando começamos a ouvir a força da água a cair pertinho de nós começamos a correr como duas crianças, corremos até alcançar as cascatas e aí paramos, paralisados. Ficamos assim durante uns minutos, hipnotizados pela beleza da natureza. Para não ficar chata com adjectivos deixo-vos com as fotografias. (É possível tomar banho nestas cascatas!)

Estivemos praticamente sozinhos até às 11h30, altura em que chegou um autocarro com umas 30 crianças, sinalizando o momento de seguir viagem para a Croácia. Split foi a nossa primeira (e única) desilusão da viagem. Talvez por a fasquia já estar bem alta ou talvez pelas multidões de turistas que invadiam as pequenas ruelas do centro histórico, mas a verdade é essa, Split não nos conquistou.

 

 

SPLIT – Onde Comer?

  • Bobis, mesmo no centro histórico, esta pequena pastelaria/pizzeria foi a grande alegria do dia. Comida deliciosa e super barata na Croácia, afinal é possível!! Pagamos menos de 10€ pelos 2! 

Para finalizar uma roadtrip épica pelos Balcãs, decidimos fazer um desvio para ir visitar os famosos lagos de Plitvice.  Optamos por passar a noite perto dos lagos e começar assim a nossa caminhada bem cedo. Demoramos cerca de 2h30 desde Split até chegar ao nosso hotel em Vrelo (fica a 10 min de carro da entrada do parque nacional dos lagos Plitvice).

Dia 7 | Lagos Plitvice e Sibenik

Não sei quanto a vós, mas a primeira vez que fiquei com vontade de conhecer a Croácia foi após ter visto fotografias desse parque natural com as suas centenas de cascatas e 50 tons de azuis. Por muitas fotografias que uma pessoa veja, entrar neste parque é como entrar num mundo feérico, imaginário… sempre achei que a cor da água nas fotografias não era real, mas é! E as fotografias não demonstram o tamanho das cascatas nem transmitem o som ensurdecedor da força da água ao nosso redor. Ao longo do percurso ficamos diversas vezes paralisados durante vários minutos, absorvidos pela beleza da paisagem e o som da natureza ao nosso redor.

Apesar de ser muito turístico, foi uma das mais belas caminhadas que já fizemos. Optamos pelo circuito H que passa pelos lagos superiores e inferiores incluindo uma travessia de barco. Demoramos cerca de 5h e achamos o percurso bastante agradável, havia pouca gente nos lagos superiores (talvez por termos começado cedo por volta das 8h). Os lagos inferiores são os mais famosos e por isso apanhamos fila em certas partes do percurso (já passava das 11h). Apesar de ter muita gente, acho que passar pelos lagos inferiores a essa hora até não foi mau, por causa da luz.

Podem consultar o nosso mini-guia do parque aqui: Croácia | Visitar os Lagos Plitvice

 

LAGOS PLITVICE – Onde Dormir?

  • Rooms Marijanović. A 10 min de carro da entrada dos lagos Plitvice, está muito bem localizado e perto de vários restaurantes, mas não encontramos nenhum supermercado aberto de noite (em todos os outros locais onde ficamos havia sempre um PEMO ou VOLI aberto até às 22h). O quarto era grande com casa de banho privada, ar condicionado, Wi-Fi, frigorífico e televisão. 25€/noite o quarto duplo.

Para mais informações e reservas: Rooms Marijanovic

LAGOS PLITVICE – Onde Comer?

  • Babic. Um grande restaurante na estrada que vai para os lagos Plitvice, ficava a menos de 5 min de carro do nosso hotel. Serve uma grande variedade de pratos a um preço bastante correcto, não foi das melhores refeições que fizemos, mas também não foi mau. Dado a localização acabou por ser uma excelente opção para jantar. Preço para 2 pessoas: 15-20€.

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

A entrada do parque custa 160 kunas para adultos (~22€) e o parking custa 7 kunas (~1€) por hora.

É proibido tomar banho em todo a extensão do parque. Existe restaurantes junto às entradas 1 e 2 com casas de banho. Ao longo do percurso não encontramos caixotes do lixo, apenas junto às entradas 1 e 2. É possível levar comida e fazer um piquenique, existem vários bancos ao longo do percurso, mas tragam o lixo de volta até às entradas! 

No (longo) regresso até Dubrovnik, ainda paramos em Sibenik para esticar as pernas e admirar a costa croata desde o Castelo. Preferimos mil vezes esta pequena cidade à sua irmã Split! 

 SIBENIK – O que visitar?

  • Castelo de St Michael. A entrada do castelo custa 50 kunas (30 kunas para estudantes) e dá acesso a um segundo forte, mas não tivemos tempo de ir visitá-lo. A vista é bastante agradável!
  • Catedral St James. A entrada custa 20 kunas (10 kunas para estudantes).
  • Nos arredores de Sibenik podem visitar as cascatas do Parque Nacional Krka, nada que se compara aos lagos Plitvice, mas dizem que vale muito a pena, pelas fotografias parece ser semelhante às cascatas de Kravice.

 CAVTAT – Onde Dormir?

Para a última noite, tendo em conta que o nosso voo era às 8h30 do dia seguinte, optamos por ficar a dormir em Cavtat que fica mais perto do aeroporto de Dubrovnik. Ficamos no hotel Vila Adria num quarto duplo com casa de banho privada, ar condicionado, frigorifico, televisão e Wi-Fi. Havia uma cozinha à disposição e fica a menos de 10 min de carro do aeroporto. 36,45€/noite o quarto duplo.

Para mais informações e reservas: Vila Adria

Balcãs | Gastos totais

Esta roadtrip pelos Balcãs ganhou sem dúvida um lugar no nosso top 3 viagens! Ficamos bastante surpreendidos com a diversidade das paisagens no Montenegro, a natureza luxuriante da Bósnia-Herzegovina e o contraste da costa croata com as suas mil ilhas espalhadas pelo azul intenso do mar adriático.
O que mais gostamos: percorrer a estrada entre Kotor e o parque Lovcén e descobrir o parque Durmitor no Montenegro. Tomar banho nas cascatas de Kravice e a comida na Bósnia-Herzegovina. E por fim, caminhar no Parque Nacional dos lagos Plitvice na Croácia, foi um sonho tornado realidade que conseguiu superar todas as nossas expectativas.
O que nos desiludiu: os preços por vezes absurdos da Croácia, a comida no Montenegro e a cidade de Split.
  • Hotéis:
Ficamos sempre em hotéis relativamente bons, equipados com ar condicionado, televisão e kitchenette. Reservamos tudo pelo Booking, excepto 1 noite que foi pelo Airbnb (em Mostar). Para 7 noites gastamos no total 212 € para 2 pessoas. Média de 30€/noite. 
  • Carro
Como já referi no início, alugamos no site da Autoeurope com SuperCover (reembolso da franquia). A empresa do aluguer era a CarWiz que recomendamos a 100%. Pagamos apenas 90€ para 8 dias + 70€ para poder atravessar fronteiras. O que dá um total de 160€. Enchemos 2 vezes o depósito (e sobrou), o gasóleo ficou-nos no total por 97€. As portagens ficaram-nos por 34€ (apenas pagamos portagens na Croácia, na única autoestrada do país que percorre a costa toda). E os parkings por 13,5€ (nos lagos Plitvice e em Sibenik). O que dá um total de: 304,5 € 
  • Actividades:

Aqui incluímos todos as entradas dos diferentes monumentos e parques nacionais que visitamos. Gastamos no total: 119 € pelos dois.

  • Comida:
Comemos sempre 1 refeição por dia em restaurantes (geralmente à noite) e almoçávamos coisas ligeiras durante o dia. Inclui também os numerosos gelados que comemos. Gastamos um total de 272 € pelos dois.
  • Voos:
Voo Porto-Barcelona pela TAP por 98€ ida e volta por pessoa + voo Barcelona-Dubrovnik pela Norwegian Airways por 90€ ida e volta por pessoa. O que faz um total de 376 € pelos dois.
  • Seguro de Viagem:
Pagamos 25€ por pessoa para 2 semanas (como a nossa viagem durou mais do que 7 dias tivemos de pagar automaticamente 2 semanas) no site da ACS (um seguro francês que cobre apenas despesas médicas). mas como disse mais acima, recomendo vivamente fazer o seguro da World Nomads que é bem mais completo. Este seguro da ACS é muito bom para quem pretende apenas cobrir despesas médicas na Europa e resto do mundo.
 

O que dá no total 667 € por pessoa com TUDO incluído.

Viagem realizada em finais de Maio 2018
Inspirada na viagem de 15 dias do blogue Viagens à Solta

Todos os nossos artigos sobre os Balcãs:

Roadtrip de 1 semana pelos Balcãs | Roteiro, dicas e gastos

Croácia| Visitar Dubrovnik

Croácia | Visitar os Lagos Plitvice

 Montenegro| Lago Skadar

 Montenegro | Parque Durmitor

 

Gostaram da nossa viagem? Gostariam de ter a mesma experiência de forma económica, mas não sabem como organizar a viagem ou não têm tempo para isso? Podemos criar juntos a vossa viagem de sonho com os nossos Roteiros Personalizados.

Filha e neta de imigrantes, as malas seguem-me desde a minha infância. O meu sonho, conhecer cada recanto do nosso maravilhoso mundo, faz com que esteja constantemente a pensar na próxima viagem. Natural de França, vivo actualmente no Porto, onde sou médica nas horas de trabalho e viajante nos meus tempos livres.

21 thoughts on “Road trip de 1 semana pelos Balcãs | Roteiro, dicas e gastos

  1. Tenho uma road trip marcada este ano para a Croácia, tenho procurado muitas publicações sobre o que vou encontrar e este é sem duvida o mais enriquecedor…
    Muitos parabens e é muito bom haver gente como vocês.

  2. Antes de mais, muitos parabéns pelo vosso trabalho.
    Vou à Croácia dentro de 3 semanas e também estou a pensar incluir a Bósnia e o Montenegro no roteiro – o vosso trabalho ainda aumentou mais esda vontade.

    Só uma questão: é necessário passaporte? Tinha lido que bastava o cartão do cidadão para entrar.

    Muito obrigado!

    1. Olá António,

      Obrigada pelo seu feedback 🙂

      Tal como escrevi nas 10 dicas no início do artigo: “Segundo a informação do Portal das Comunidades Portuguesas não é preciso visto para os cidadãos dos países do Acordo de Schengen, sendo apenas necessário B.I./CC ou passaporte válido por 6 meses para entrar nos 3 países que visitamos (Croácia, Montenegro e Bósnia-herzegovina)”

      Portanto não é preciso passaporte, mas na fronteira demoravam mais tempo com os que não tinham passaporte… não estão habituados ao cartão de cidadão, mas são obrigados a aceitar.

      Boa viagem!

    1. Olá Deni,

      Vimos muito em pouco tempo, sem dúvida! Mas nós gostamos de viajar desta forma, o tempo que passamos em cada sítio foi suficiente para visitar o essencial. Os lagos de Plitvice ficam fora de mão, mas valeram sem dúvida o desvio 😉

    1. Sem dúvida 😉 Estão de parabéns, não são muitos os blogues portugueses que conseguem combinar os dois: textos e fotografias de qualidade 😉
      Beijinho

  3. Adorei a “reportagem”! Muito útil para mim que vou viajar pelos Balcãs este ano.
    Tenho duas perguntas, espero que saibam responder. Primeira, nós vamos fazer vários países, começando na Croácia, mas não voltamos lá para apanhar o voo de regresso, acham fácil na zona, alugar carro para entregar noutro país? Segunda, verificaram se havia boas linhas de autocarros por onde andaram?

    1. Olá Joana,
      Muito obrigada 🙂
      É possível alugar carro num país e deixar noutro, mas terá de pagar uma taxa, o melhor é fazer uma simulação no site da Autoeurope ou outro para saber o valor dessa taxa.
      Relativamente aos autocarros não lhe sei dizer ao certo, mas sei que uns amigos nossos fizeram a costa toda da Croácia de autocarro. Muito sinceramente, tendo em conta o preço do aluguer, acho que compensa muito mais viajar de carro para ter mais liberdade!

  4. Olá, olá!
    Em Agosto estou a planear uma viagem um pouco ao jeito da que fizeram (Lisboa – Bolonha – Veneza – Pula – Dubrovnik – Kotor – Budva – (Tivat-Durmitor?) – Sarajevo – Lisboa).
    Como vou sozinho e num registo descontraído, apreciei bastante o vosso diário, recheado de dicas bastante pertinentes. Aliás, estava a pensar descer até Tivar, mas, com a vossa sugestão, já considero, em alternativa, correr a zona do parque de Durmitor.
    Muito obrigado pela partilha e boas viagens.

    1. Olá Afonso!
      Se gosta de natureza vale a pena passar pelo parque Durmitor! Estivemos para não ir até là e acabou por ser a melhor parte da viagem 🙂 Mas depende de cada pessoa, eu fiquei rendida a essas paisagens com lagos, montanhas e florestas. E o desfiladeiro é bastante impressionante.
      Boa viagem!

  5. Olá Marina 🙂
    Adoro as vossas dicas de viagens, segui muitas delas em Itália e gostei imenso de todas 🙂
    Em relação à vossa viagem pelos Balcãs, gostaria de saber se houve alguma cidade que tenham tido pena de não ter conseguido visitar?
    Muito obrigada

    1. Olá Marine!
      Que bom ter esse feedback 🙂
      Relativamente à nossa viagem, gostaríamos ter ficado mais tempo em Sibenik e ter trocado Split por Trogir, mas o que realmente tivemos pena de não conhecer foi a ilha Mjlet e o parque Krka.
      Espero ter ajudado

  6. Olá!
    Adorei o vosso roteiro dos Balcãs. Serviu para abrir, ainda mais, o apetite.
    Sobre a vossa viagem gostava de saber se marcaram as dormidas antecipadamente, ou foram à aventura.
    Obrigada
    Lourdes

    1. Olá Lourdes!
      Nem imagina o quão feliz me deixa ler esse comentário :))
      Eu gosto de preparar as viagens ao pormenor, por isso reservo sempre o alojamento com antecedência. Com apenas 1 ou 2 semanas de férias o tempo é pouco e não queremos perder tempo à procura de um alojamento. Além disso, os melhores alojamentos em termos de relação qualidade/preço ficam geralmente cheios. Acho que vale a pena não reservar quando não temos data de regresso ou bastante tempo para aproveitar cada local.
      Boa viagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *