Roteiro na Tailândia | O nosso itinerário

Roteiro na Tailândia | O nosso itinerário

Escolher o melhor itinerário na Tailândia não foi tarefa fácil. Eram tantos os sítios que queríamos visitar que 3 semanas acabaram por saber a pouco. A nossa viagem levou-nos a conhecer lugares fabulosos, saímos de Bangkok rumo ao norte do país até Chiang Mai, passamos depois por um lugar surreal, o Parque Nacional de Khao Sok, antes de relaxar uns dias nas ilhas paradisíacas no sul da Tailândia. Esta foi a nossa primeira grande viagem, e olhando para trás, sei que não poderíamos ter escolhido melhor destino para nos iniciarmos a estas andanças. É muito fácil organizar uma viagem por lá e a diversidade das paisagens e atividades tornam este destino ideal para qualquer pessoa. Para vos ajudar vou partilhar aqui o nosso roteiro de 3 semanas bem como várias dicas e outras sugestões que poderão ser adaptadas a qualquer roteiro.

Nota: alterei os dias 15, 16 e 17 por uma razão muito simples, passamos esses dias em Phuket (I know… como é que nos passou pela cabeça ir para Phuket? Erro de principiante). Após várias conversas com outros viajantes, se voltasse a fazer esta viagem trocaria Phuket por Krabi sem hesitar.
Tailandia - khao sok

Dia 1  – O primeiro impacto

Visitar Bangkok, a cidade que “adoramos ou detestamos”, foi para nós uma experiência única, com muitas emoções à mistura pois era o nosso primeiro impacto com a Ásia. Após vários meses de espera, várias semanas de pesquisas e quase um dia de voo, chegamos finalmente à muito esperada cidade de Bangkok! Foi só o tempo de deixar as malas, pedir um mapa da cidade e partimos à descoberta desta enorme, desconcertante e bela cidade.

Nesse primeiro dia foram muitas as experiências. Primeiro almoço thai num mercado local (bem picante!), primeiro passeio de tuk-tuk com direito ao primeiro, de muitos, susto de morte, primeiro contacto com a indigência tailandesa num longtail pelos Khlongs, primeira visita de um templo Wat Intharawihan e o seu imponente “Standing Buddha”, primeiro pad thai (no restaurante Thip Samai), o sabor que nos fez perceber que afinal não íamos passar fome.

O nosso artigo: O que visitar em Bangkok? (em breve)

Tailandia - bangkok

Dia 2 – Mercado flutuante e templos de Bangkok

Após a fadiga acumulada, as 100 fotografias já tiradas e o sono esquizofrénico de um belo jetlag partimos para mais um dia. Começamos então pela visita do famoso mercado flutuante de Daemon Saduak e passado meia hora, já estávamos habituados às paragens frequentes do nosso guia a cada barraca amiga onde nos tentavam impingir mais umas lembranças. Após várias horas a regatear e já no fim do passeio, provamos finalmente a nossa primeira água de coco! Tão refrescante e tão saborosa! 

Após um almoço bem temperado chegou a vez do Grande palácio, que faz jus ao seu nome tanto pela beleza como pelo tamanho dos templos rendilhados a ouro. O Wat Pho temple, ao seu lado, parece algo minimalista, mas foi definitivamente o nosso templo preferido de Bangkok. A sua beleza discreta é indescritível.

Podem reservar previamente a vossa visita ao Mercado Flutuante ou podem optar por negociar os preços diretamente lá. Uma boa opção será visitar Bangkok de bicicleta!

Se visitarem Bangkok durante o fim de semana, existe um mercado bem mais interessante e autêntico frequentado principalmente por tailandeses: o mercado Khlong lat Mayom. Encontra-se encerrado durante a semana. Para lá chegar, o mais simples e mais barato é apanhar o metro BTS Si-Lom line até a estação Wong Wian Yai e daí apanhar um táxi até o mercado (150 THB ~3,50€ com taxímetro ligado).

BANGKOK – INFORMAÇÕES ÚTEIS

Onde dormir em Bangkok?

Onde comer em Bangkok?

  • Thip Samai: onde se come um dos melhores pad thai de Bangkok! Foi das melhores refeições que fizemos durante a nossa viagem, o pad thai com ovo e camarão é divinal e o sumo de laranja natural uma delícia. Tem uma fila enorme, mas o serviço é rápido e fazem take away.

Templo Wat Pho:

  • Horário: 8h00-18h30
  • Tempo estimado da visita: ~60-90min
  • Preço: 100 THB (~2,60€)

Grande Palácio:

  • Horário: 8h30-15h30
  • Tempo estimado da visita: 90 min
  • Preço: 500 THB (~13€)

Templo Wat Arun

  • Horário: 8h30-17h30
  • Tempo estimado da visita: 60 min
  • Preço: 50 THB (~1,3€)

É preciso ter roupa adequada para a visita dos templos, mas todos os templos fornecem roupa de graça (o depósito de garantia varia entre 100-200 bahts).

Dia 3 – Kanchanaburi

Neste dia tínhamos previamente combinado uma visita a Kanchanaburi, uma pequena cidade que fica a cerca de 130km de Bangkok, no meio da natureza, junto ao famoso rio Kwai. Essas 3 horas de viagem valeram bem a pena! De manhã vimos as fantásticas cascatas do parque nacional de Erawan. Esta cascata possui 7 níveis e cada nível tem o seu encanto. Conseguimos ir até o 7º nível sempre a subir por um trilho bastante agradável, mas que se torna mais difícil a partir do 5º nível. Em cada nível é possível tomar banho numa água turquesa na companhia de uma multitude de peixes esfomeados que tentam desesperadamente comer qualquer pé que entre na água. Os peixes não são perigosos (até limpam os pezinhos) é preciso é ter cuidado com as pequenas abelhas, que à primeira vista parecem inofensivas, mas picam!

Não achei nada de especial ao 7º nível, além disso foi o sítio onde encontramos mais abelhas e onde acabamos por ser picados, por isso se não tiverem tempo (ou forças) recomendo ficar pelo 5º nível e ir bem cedo para poder mergulhar no 2º nível que é o melhor para nadar, mas fica logo cheio de gente. Para quem tem mais tempo, Kanchanaburi merece bem uns 2-3 dias de visita. Para além de oferecer várias actividades e diversos pontos de interesse, o alojamento lá é barato e acordar num bungalow junto ao rio com estas paisagens deve ser uma experiência incrível

De tarde, descemos o rio Kwai de canoa, sozinhos numa serenidade total, no meio de paisagens lindíssimas, observando de vez em quanto alguns animais, incluindo um bando de vacas selvagens no meio do rio e elefantes tomando banho.

A nossa ida a Kanchanaburi custou 36€ incluindo o transporte privado até lá, a visita do parque de Erawan de manhã e o passeio de 2h de kayak de tarde.

Dia 4 – Ayutthaya 

Neste dia fizemos uma viagem no tempo. A 80 km da frenética cidade de Bangkok fica Ayutthaya, cidade de Sião, que foi a capital da Tailândia até ser destruída por Burma (atual Myanmar). Trata-se de uma cidade fascinante repleta de ruínas e onde reina a tranquilidade (o que sabe particularmente bem após uma passagem por Bangkok). Um momento forte da nossa viagem pela Tailândia.

O nosso artigo: Um dia em Ayutthaya| O que visitar?

De Ayutthaya apanhamos um comboio noturno em direcção a Chiang Mai, uma experiência única. Convém comprar os bilhetes de comboio com alguma antecedência no site da 12Go.asia

Dia 5 – Chiang Mai

Se olharem para o mapa da cidade, irão reparar num quadrado rodeado por um canal e muralhas, esse é o centro antigo da cidade, também conhecido como “a cidade velha”. Poderiam facilmente passar um ano a visitar apenas templos, pois são mais de 300 os que aqui se encontram espalhados pela cidade.

No nosso primeiro dia, após uma noite atribulada no comboio, arrancamos logo para uma visita o templo mais famoso de Chiang Mai, o Doi Suthep. Podem optar por ir de moto, de transportes públicos ou mesmo a pé. Está tudo explicado aqui.

CHIANG MAI – INFORMAÇÕES ÚTEIS

Onde Dormir em Chiang Mai?

Onde Comer em Chiang Mai?

  • Khao Soi Khun Yai
  • Tikky Cafe
  • Kanjana
  • Pho Ahn

Existem voos directos de Chiang Mai para Bangkok, Phuket, Krabi, Koh Samui, Surat Thani, Udon Thani, Hat Yai e Pattaya.

Tailandia - Chiang Mai

 

Dia 6 e 7 – Caminhada de 2 dias pelas montanhas do norte

Este é uma das atividades mais famosas de Chiang Mai e uma das atividades que mais adoramos. Caminhamos durante 2 dias com um guia espectacular no meio da floresta de Chiang Mai. Passamos a noite numa aldeia isolada onde tivemos direito a um jantar thai preparado pelo nosso guia, uma das melhores refeições que tivemos na Tailândia. Jantamos à luz das velas antes de acender uma fogueira ao som da guitarra. A isso juntamos atividades como rafting e bamboo rafting. Dois dias que não iremos esquecer.

Tailandia - Chiang Mai

Dia 8 – Doi Inthanon

O nosso último dia em Chiang Mai foi passado no Parque Nacional do Doi Inthanon, localizado a 115km do centro de Chiang Mai. Este templo encontra-se no ponto mais alto da Tailândia e oferece uma variedade de caminhadas, sendo a mais bonita a Kew Mae Pan Nature Trail. Recomendamos a 100% esta visita.

Mais informações no nosso artigo: O que visitar em Chiang Mai?

O mais económico será alugar uma moto para lá chegar, basta seguir pela 108 para sul e depois apanhar a 1009 para oeste até aparecerem as indicações para o Doi Inthanon.

Dia 9 e 10 – O norte de Phuket 

Após a caminhada de 2 dias em Chiang Mai precisávamos de repor energias, optamos então por voar até Phuket onde fizemos uma paragem estratégica perto do aeroporto, nas praias desertas do norte dessa região, mais precisamente em Naithon. Não sabíamos bem o que iríamos encontrar e acabamos por ficar bastante surpreendidos. Uma cidade com pouca animação, pouca escolha em termos de hotéis e restaurantes, mas praias desertas e paradisíacas! O ideal para descansar 2 dias.

Recomendamos a 100% o nosso hotel: Naithon beach Mansion

Dia 11 e 12 – O melhor da nossa viagem, o Parque Nacional de Khao Sok

Não tenho palavras para descrever o que vivemos durante estes dois dias. É impossível ficar indiferente a um lugar tão incomum, tão imenso e tão bonito. Aqui irão encontrar a verdadeira Tailândia. Só vos posso dizer o seguinte: vão, não hesitem, não se irão arrepender. Recomendo vivamente passar uma noite num bungalow flutuante no lago. Passamos  2 dias em Khao Sok, se repetisse esta viagem passaria sem dúvida 3 dias para aproveitar melhor o resto do parque, acabamos por conhecer “apenas” a região do lago.

Podem voar para Phuket ou para Surat Thani e daí apanharem os transportes públicos ou um táxi privado até Khao Sok. Também existe a possibilidade de ir de comboio desde Bangkok até Surat Thani e apanhar um bus local até Khao Sok. Optamos por reservar tudo com uma agência que nos veio buscar a Naithon beach e que nos levou depois de Khao Sok até o nosso destino seguinte. Ficou tudo por 4600 baths (~115€) por pessoa (transferes + atividades + refeições + noite no bungalow flutuante).

Dia 13 e 14 – Baía de Phang Nga

Esta baía recebe cada vez mais turistas que procuram a beleza das suas paisagens únicas. Existem várias excursões que propõem todas o mesmo tipo de visita: visita da James Bond Island, almoço na ilha de Koh Panyee, passeio de kayak e visita de uma gruta. À hora do almoço, a minúscula ilha de Koh panyee fica então invadida por dezenas de turistas que procuram freneticamente a melhor lembrança nos mercados improvisados desta pequena aldeia.

Existe outra opção para se impregnar da verdadeira essência da baía que ganha outra vida ao fim do dia. Uma vida mais lenta ao ritmo da maré. É possível passar uma noite na ilha de Koh Panyee, para isso basta alugar um barco privado para vos levar diretamente à ilha, os quartos são poucos e os turistas também. Quanto a nós, alugamos um barco privado que tratou de ligar para lá a reservar os quartos, foi assim possível visitar  a baía, almoçar numa praia e passear num kayak, só no final do dia é que o nosso guia nos deixou em Koh Panyee, a essa hora a ilha estava deserta, apenas cruzamos locais. Entramos nas “profundezas” da ilha com os olhares interrogadores dos locais. Aqui não há portas, nem sei se há casas. As crianças brincam com patas de caranguejos e uma bola furada. Foi dos lugares mais chocantes que visitamos, daquelas paisagens que muitos preferem não ver.

A ilha de Koh Panyee é muito pequena, um pedaço de terra no meio da baía onde se refugiaram vários muçulmanos há vários anos atrás. Com o crescimento das famílias, a ilha tornou-se rapidamente insuficiente e tiveram de construir casas por cima da água. Existe agora uma mesquita, uma escola e um pequeno terreno de futebol.
Tailandia - phang Nga

Dia 15, 16 e 17 – Krabi

Antes de visitar as ilhas Phi Phi ainda tínhamos uns dias para aproveitar outro local, não sei bem como, mas optamos por Phuket. Se o que procuram são praias abarrotadas de russos e franceses, discotecas e resorts então força. A meu ver, fazer tantas horas de viagem para ficar num local completamente transformado para agradar aos turistas é um desperdício. A Tailândia oferece uma grande variedade de ilhas e várias praias paradisíacas. Uma boa opção para passar uns dias antes de seguir para as ilhas Phi Phi é a península de Krabi, é de muito fácil acesso e oferece diversas atividades como passeios de kayak, excursões a ilhas desertas, mergulho e várias outras atividades aquáticas.

Para mais informações podem ler o nosso artigo: O que visitar em Krabi ?

KRABI – INFORMAÇÕES ÚTEIS

Onde dormir?

Onde comer?

  • Railay Famili Restaurant.
  • Tom Ma Yom Thai Food (é preciso reservar no dia antes)
  • Jungle Kitchen

O que visitar?

  • O incontornável: Railay West Beach
  • Excursão às 4 ilhas paradisíacas (Koh Poda, Koh Tup, Chicken Island e a praia de Phra Nang)
  • Aulas de culinário no Thai Charm Cooking
  • Massagens no Massage Corner




Dia 18, 19, 20 – Ilhas Phi Phi

Para uma primeira visita à Tailândia este é um local imperdível. As ilhas Phi Phi são um conjunto de duas ilhas, Koh Phi Phi Don e Koh Phi Phi Lee. A primeira é a ilha onde se encontram os hotéis, restaurantes e bares. A parte sudeste da ilha é mais “selvagem” com alguns hotéis e praias sossegadas. O centro da ilha (“a parte mais estreita”) é a parte festiva da ilha com múltiplos
restaurantes, hotéis e bares na praia. À noite esta parte da ilha transforma-se numa discoteca ao ar livre. Koh Phi Phi Lee é uma reserva natural protegida, não havendo hotéis nem restaurantes. É aí que se encontra a famosa praia Maya Bay eleita a praia mais
bonita do mundo, após o filme “The Beach” com o Leonardo DiCaprio. O resto da ilha é muito selvagem, só sendo possível dar a volta à ilha de barco.

É sem dúvida a ilha mais turística da Tailândia e se tanta gente procura este paraíso é por um motivo: a famosa Maya Bay. Um mar azul turquesa acariciando um areal branco de areia fina. Um pedaço de paraíso separado do resto do oceano por falésias verdejantes. Uma paisagem surreal. Optamos por alugar um barco privado e saímos de madrugada para conhecer a praia mais famosa do mundo, tivemos assim a sorte de estar lá completamente sozinhos durante 1h até chegarem os barcos repletos de turistas.  Uma das nossas melhores lembranças.

Se saírem do centro da ilha conseguem encontrar praias relativamente desertas, a desvantagem é que não têm tanta escolha em termos de hotéis e restaurantes. O centro da ilha consiste basicamente em restaurantes e hotéis aglutinados uns em cima dos outros com agências pelo meio. Recomendo escolher um hotel ligeiramente afastado do centro.

ILHAS PHI PHI – INFORMAÇÕES ÚTEIS

Como chegar:

Podem apanhar um voo de Bangkok até Phuket ou Krabi, sendo o mais rápido e prático Krabi pois daí apanham diretamente um ferry até as ilhas Phi Phi. Se chegarem a Phuket têm primeiro de apanhar um autocarro até Phuket Town e daí conseguem comprar em qualquer agência um bilhete de ferry que inclui transfer até o barco.

Onde dormir:

Onde comer:

  • Efe Mediterranean
  • Anna’s restaurant
  • The Mango Garden
  • Garlic 1992
  • Oasis Bar & Restaurant

As melhores praias:

  • Loh Lana Beach
  • Nui Beach
  • Loh Ba Kao

Dia 21 – Bangkok

Este dia serviu apenas para regressar até Bangkok, apanhamos um ferry das ilhas PhiPhi até Krabi e daí apanhamos um voo até Bangkok. Passamos a noite perto do aeroporto antes de apanhar o nosso voo de regresso na manhã seguinte.

Não comprem voos internacionais para o mesmo dia em que tenham um voo doméstico, pois esses atrasam-se com alguma frequência. Mais vale passar uma noite em Bangkok.

 Não aluguem carros ou moto em Bangkok, o trânsito é infernal e os acidentes são frequentes. Conhecemos uma pessoa que teve um acidente em tuk-tuk e que teve de pagar uma valor exorbitante no hospital, por isso nunca se esqueçam de fazer um bom seguro de viagem. Antes de escolher um seguro, recomendo ler o seguinte artigo para perceber quais as diferenças e pontos mais importantes a ter em conta nas coberturas: Seguro de Viagem. Após termos experimentado 3 seguros diferentes, fazemos agora os nossos seguros com a Iati, seguros especializados em viagem, têm atendimento em português e têm excelentes coberturas sem franquia. Os nossos leitores têm direito a 5% de desconto comprando pelo nosso link: Seguro Iati.

 

Se gostaram do artigo, podem guardá-lo no Pinterest:


Todos os nossos artigos sobre a Tailândia

 Tailândia | Guia e Dicas de Viagem

 Tailândia | Roteiro de Viagem

 Tailândia | Onde dormir?

 Bangkok e Kanchanaburi

 Visitar Ayutthaya

 Comboio nocturno entre Bangkok e Chiang Mai

 Visitar Chiang Mai

 Phuket | Naithon Beach, a praia deserta

 Phi Phi | Maya Bay

 Khao Sok, o imperdível da Tailândia

 Tailândia | O que fazer em Krabi?

AS FERRAMENTAS INDISPENSÁVEIS PARA ORGANIZAR UMA VIAGEM:

 Podem encontrar aqui os melhores voos: Skyscanner ou Momondo

 Para encontrar as melhores promoções e reservar o vosso alojamento recomendamos o Booking

 Façam sempre um bom seguro de viagem, os Seguros Iati têm atendimento em português, são especializados em viagem e não cobram franquia! Se realizarem a compra através do nosso link têm direito a 5% de desconto em qualquer seguro.

Procurem as melhores excursões e comprem os vossos bilhetes para as melhores atrações na GetYourGuide

 Poupem em taxas de levantamento usando o Cartão Revolut.

TUDO PARA UMA VIAGEM PERFEITA

...

O MELHOR HOTEL AO MELHOR PREÇO



Booking.com

UM CRÉDITO PARA A PRÓXIMA VIAGEM

O MELHOR SEGURO EM PORTUGUÊS

* Se realizarem a vossa reserva através de um dos links do nosso blogue, estarão a ajudar a desenvolver os Destinos Vividos, e o melhor disto, é que não pagam nada a mais por isso. Obrigada*

SIGAM AS NOSSAS AVENTURAS

- Instagram -

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *