Islândia no Inverno | Uma viagem a não perder

Islândia no Inverno | Uma viagem a não perder

Escolher viajar para a Islândia no inverno tem múltiplas vantagens, no entanto, convém precaver-se e preparar minimamente a viagem antes. Esta road trip foi para nós um batismo nos países nórdicos. Foi delicioso percorrer as estradas islandesas, um autêntico paraíso para fotógrafos e amantes de natureza.  O único problema desta viagem é que plantou em nós um novo vício. Fotografar paisagens invernais e observar auroras boreais.

islandia kirjufell

islandia inverno

VIAJAR NA ISLÂNDIA NO INVERNO

Vantagens de uma viagem no inverno

Começando pelas vantagens, o que me vem logo à cabeça são as paisagens. Foi o que nos marcou mais, talvez por não estarmos habituados a ver tanta neve, mas lá no fundo acho que foi pelo poder mágico da neve. A neve conseguiu transformar a Islândia num daqueles países do nosso imaginário. O que dizer perante tamanha beleza? Poderíamos ficar horas e horas a admirar estes postais islandeses.

Falando agora de coisas mais práticas. Viajar para a Islândia no inverno traz nítidas vantagens comparativamente com o verão. Menos gente, preços mais baixos, e claro, a possibilidade de observar auroras boreais! Este último é talvez o principal motivo que atrai grande parte dos turistas que aqui vêm no inverno. No entanto, não visitem a Islândia no inverno apenas com o objectivo de ver auroras. Apesar de ser a melhor altura do ano é sempre preciso ter alguma sorte, para não dizer muita sorte. Não vou mentir, após marcar a viagem só pensava na remota possibilidade de ver esse fenómeno da natureza. Mas o que nos motivou a planear esta viagem em março foi aquele sonho, quase infantil, de percorrer paisagens cobertas de neve, entrar em grutas de gelo e ver cascatas congeladas. Se não ficarem entusiasmados com estas paisagens, pensem duas vezes antes de marcar a viagem.

Desvantagens de uma viagem no inverno

Passemos agora às desvantagens. O facto de ser a época baixa também tem as suas limitações. Menos escolha em termos de alojamento, mas principalmente em termos de itinerário. Várias estradas encontram-se fechadas no inverno, é o caso das F-Roads e da grande maioria das estradas secundárias com 3 dígitos. Alguns locais, dos mais lindos da Islândia, não são acessíveis no inverno, como é o caso do desfiladeiro Fjaðrárgljúfur e das paisagens surrealistas da região Landmannalaugar. Outra desvantagem, os dias são mais curtos. Entre Dezembro e Janeiro a duração média dos dias é de cerca de 5h. Em Março os dias já são mais longos, o sol nasce por volta das 8h30 e deita-se por volta das 18h30. Podem consultar os horários do nascer e pôr do sol no seguinte site Sunrise & Sunset.

Os dias mais curtos e o tempo imprevisível acabam por limitar e complicar a elaboração do itinerário, sendo necessário pensar e avaliar muito bem as distâncias entre cada local. Por fim, estavam à espera que falasse do frio não é? Na verdade, se forem bem equipados, essa não será uma limitação. Acho difícil alguém ser mais friorento que eu, no entanto adorei esta viagem e nunca senti aquele frio insuportável que algumas pessoas descrevem.

Pequena anedota: Antigamente na Islândia, a idade das pessoas não se baseava no número de anos que viviam, mas sim no número de invernos a que sobreviviam!
islandia inverno
islandia inverno glaciar

Road trip – Conduzir na Islândia no inverno

Não vou dizer que é fácil porque estaria a mentir, mas que é giro é. O melhor de conduzir na Islândia no inverno é o trânsito quase inexistente, excepto perto de grandes cidades como Reykjavík. Talvez no verão seja diferente. Em Março, as únicas vezes em que tivemos de andar a passo de caracol não foi devido ao trânsito, mas sim à neve. Não sei o que será melhor.

Conduzir na Islândia no inverno não é para qualquer um. As condições climatéricas são rudes, é preciso ter noção disso. Entre ventos fortes que desviam os carros, tempestades de neve que diminuam a visibilidade e o gelo que atrapalha até os mais experientes. Tudo isso não torna a condução fácil, nem segura. Tivemos de conduzir vários quilómetros com uns 20 cm de neve na estrada principal e sem grande visibilidade.

Algumas dicas para conduzir na neve

    • Nunca travar bruscamente
    • Nunca virar o volante de forma brusca. Quando o carro parece estar a deslizar na neve é preciso deixá-lo ir e virar ligeiramente o volante para a direção pretendida. Daí o terceiro ponto.
  • Andar a passo de caracol. Se andarem “rápido” e deslizarem vão querer virar rapidamente o volante. Vimos isso acontecer à nossa frente, o carro assustou-se connosco, virou o volante bruscamente e perdeu automaticamente o controlo do carro. Passou por nós aos ziguezagues e quase caiu pela ribanceira. A partir daí admito que fiquei super tensa sempre que passava um carro no sentido oposto. Mas correu tudo bem.

Mais informações no nosso artigo:  Road trip na Islândia| Roteiro de viagem

O que esperar do clima na Islândia

O tempo é bastante imprevisível na Islândia. Em regra geral, contem com vento e muito provavelmente neve! No primeiro dia fomos recebidos com um dia “de verão”, céu azul, vento inexistente, ficamos logo mal habituados. No segundo dia à noite começou o vento, o famoso vento islandês que nos fez logo perceber que aqui quem manda é a natureza.

No quarto dia fomos presenteados com a nossa primeira tempestade de neve que perdurou durante a noite. Na manhã seguinte, a tempestade tinha deixado lugar a um manto branco imaculado. Nos últimos dias de viagem tivemos um céu parcialmente coberto, sem neve, mas com alguma chuva. 

Pequena anedota: As condições climatéricas adversas criaram profundas crenças pagãs na Islândia, ainda hoje, 54% dos islandeses acredita na existência de elfos! Até existe a capital dos elfos, a cidade de Hafnarfjörður, onde podem fazer excursões para saber mais sobre esta crença. Os elfos aparecem regularmente na capa de alguns jornais. São muitas vezes considerados culpados de vários acontecimentos como foi o caso de uma derrocada que atrasou uma obra importante durante vários dias… É na Islândia que se encontra a única escola de elfos do mundo! Parece gozo, mas não é.

islandia inverno roadtrip

islandia inverno

islandia inverno

PREPARAR UMA VIAGEM À ISLÂNDIA NO INVERNO

Encontrar os melhores voos

Não é fácil encontrar voos baratos. Podem diminuir consideravelmente o preço dos bilhetes com algumas pesquisas e muita paciência. Para facilitar vou dar aqui um exemplo concreto. Pretendo encontrar um voo para passar uma semana na Islândia em Setembro. Comecei então por pesquisar nas datas que me davam mais jeito colocando como cidade de partida o Porto e aeroporto de chegada Keflavík, do 8 (domingo) ao 15 de Setembro (domingo):

voos islandia

Este preço assusta logo não é? Vamos então ver como podemos baixar este valor.

A primeira coisa que eu faço é pesquisar no Skyscanner colocando como cidade de partida Keflavík e não coloco nada no destino. Encontro assim os voos mais baratos desde Keflavik o que me permite encontrar a escala mais barata.

Vejo assim que o destino mais barato desde Keflavík é Londres LTN. Faço então uma nova pesquisa, desta vez colocando Londres LTN como partida e vejo que fica mais barato partir no sábado do que no domingo. Volto então a pesquisar desde o Porto colocando o sábado como dia de partida e encontro este voo com escala em Londres LTN:

Para o regresso apliquei as mesmas técnicas, pesquisei do aeroporto de Keflavik para Londres (e outras cidades europeias como Paris e Barcelona), acabei por encontrar um voo muito barato na terça para Londres LTN. Voltei então à pesquisa inicial e coloquei o Porto como destino final, mas desta vez no dia 17/09 (terça):

Portanto se tiver flexibilidade nas minhas datas consigo um voo por 228€ ida e volta e poupo assim 140€ comparativamente à primeira pesquisa. Não existe nenhuma receita mágica para encontrar o melhor voo, o factor decisivo é sempre o mesmo: flexibilidade nas datas!

Podem encontrar mais dicas sobre a compra dos voos no nosso artigo:  Como organizar uma viagem de forma independente?

Alugar um carro ou um jeep na Islândia no inverno?

Recebemos diversas mensagens com essa dúvida e admito que ficamos bastante indecisos. Na verdade, o jeep é mais alto e tem maior estabilidade, duas características que não deixam de ser úteis no inverno, mas não imprescindíveis. Portanto, se tiverem dinheiro para investir num jeep, mal não fará. Se como nós não quiserem gastar uma fortuna, um carro “normal” serve perfeitamente. As únicas estradas em que o jeep se torna verdadeiramente imprescindível são as F-Roads no centro da ilha e essas estradas estão fechadas no inverno.

Mais informações no nosso artigo:  Alugar um carro na Islândia



Como vestir-se? O que levar na mala?

O mais importante para viajar no inverno não é a espessura da roupa, mas sim o número de camadas. Pessoalmente usei quase sempre 4 camadas na parte de cima (1 térmica, 1 camisola,  1 casaco corta vento + 1 casaco com capucho) e 2 camadas em baixo (um par de leggings térmicos + calças de ganga). Em termos de calçado recomendo um calçado confortável e impermeável, podem optar por sapatilhas ou por botas. As botas de cano alto não são  imprescindíveis. Outros acessórios indispensáveis: gorro, luvas (aqui também usei a técnica das duas camadas), tubo ou cachecol, fato de banho (para as termas ou para a Blue Lagoon) e meias quentes.

Mais informações no nosso artigo:  Preparar a mala para uma viagem à Islândia

Acessórios úteis na Islândia no inverno

As chuteiras de neve revelaram-se particularmente úteis nos sítios onde a água congelava com facilidade, ou seja, perto das cascatas. Podem optar por comprar as chuteiras diretamente na Islândia numa bomba de gasolina ou num supermercado por ~18€ ou pela Amazon.

Outro acessório indispensável para os friorentos, as escalfetas! Estão à venda na Decathlon por 4€. Compramos apenas para os pés, mas também podem comprar para colocar dentro das luvas. O calor mantém-se por ~6h, quando as tirava à noite ainda estavam quentes.

Por recomendação de uns amigos levamos uma garrafa isotérmica que enchíamos de manhã no hotel com café ou chá. Numa road trip invernal vão ver que sabe muitíssimo bem.

Onde dormir na Islândia?

Para realizar o mesmo itinerário que nós recomendo ficarem hospedados em Olafsvík (pelo menos uma noite), Selfoss (3 a 4 noites), nos arredores de Vík (1 ou 2 noites) e uma noite perto da Diamond Beach. Se pretenderem dar a volta à ilha dêem uma vista de olhos às recomendações de hotéis dos nossos amigos O Mundo em Duas Mochilas.

Para uma estadia curta, Sellfoss parece ser uma boa escolha, fica perto de vários pontos de interesse e tem uma boa oferta em termos de hotéis e restaurantes. O ideal é escolher um hotel com pequeno almoço incluído! Recomendamos a 100% este hotel onde ficamos hospedados 3 noites:

Para mais informações e reservas: Skyr Guesthouse

Contratar um seguro de viagem

Nunca será demais relembrar a importância de contratar um bom Seguro de Viagem. Infelizmente os acidentes podem acontecer e a Islândia, apesar de ser um país seguro, é um país onde estamos sujeitos a condições climatéricas adversas aumentando assim o risco de acidentes, tanto de viação como acidentes pessoais como quedas. Nunca estamos ao abrigo de ficarmos doentes e os cuidados de saúde por lá podem ficar caros. Recomendamos o seguro que usamos nas nossas próprias viagens, é um seguro com atendimento em português 24/24h, sem franquias, sem adiantamento de dinheiro e com excelentes coberturas, tudo isso por um preço super acessível. Estamos obviamente a falar dos Seguros Iati. Por confiarmos neles, conseguimos um desconto para os nossos seguidores, têm assim direito a 5% de desconto na compra de qualquer seguro Iati! Em troca recebemos uma pequena comissão que nos ajuda a desenvolver o blogue.

seguro de viagem islandia

NOTA: Infelizmente tivemos de accionar o nosso seguro Iati no ano passado. Atenderam-nos logo e foram impecáveis connosco. A nossa situação foi peculiar pois não se tratava de um problema médico, fomos roubados, mas tivemos direito a um reembolso dos bens perdidos, incluindo a nossa GoPro! Se tiverem algum problema médico, não será preciso adiantar dinheiro nem pagar franquias!

5% DE DESCONTO

LOCAIS A NÃO PERDER NA ISLÂNDIA INVERNO

 As cascatas

Na Islândia o que não faltam são cascatas, todos os anos surgem novas cascatas provenientes dos glaciares que derretem (mas há quem diga que o aquecimento global é mito). Pequenas, largas, altas, estrondosas… existem cascatas para todos os gostos! No inverno algumas não estão acessíveis e alguns caminhos podem estar cortados junto às cascatas.

Gullfoss 

Esta é provavelmente a cascata mais visitada da Islândia por se encontrar no famoso Círculo Dourado. O acesso é muito fácil com um parque de estacionamento mesmo ao lado. Existe um pequeno caminho que permite aproximar-se das cascatas, mas por razões de segurança proibiram o acesso quando lá estivemos.

Seljalandfoss

Localizada junto à estrada nº 1, esta cascata está inserida no itinerário das principais excursões que passam pelo sul da Islândia, sendo por isso muito turística. Além disso, é a única cascata onde é possível passar por trás, infelizmente esse caminho está frequentemente fechado no inverno, foi-nos por isso impossível desfrutar dessa perspectiva. O acesso à cascata é muito fácil, o parque de estacionamento fica mesmo em frente com centenas de autocarros que, a meu ver, tiram o charme ao local.

Dica: Não entrem logo no parque de estacionamento, se continuarem mais uns metros irão encontrar um parque gratuito à vossa esquerda.
islandia inverno cascata
islandia skogafoss

Gluggafoss

Bem menos turística que a sua irmã Seljalandfoss, esta cascata origina-se no mesmo rio, mas encontra-se mais afastada da estrada principal. O acesso faz-se pela estrada nº261, convém verificar o estado da estrada antes de se aventurarem por lá, tivemos sorte pois no dia seguinte já não estava acessível. O parque de estacionamento encontra-se junto à cascata e é gratuito.

Skogafoss

A nossa favorita. No dia em que visitamos esta cascata estava muito vento e acabou por tornar a experiência ainda mais intensa. Do lado direito existe um caminho com escadas que permite aceder a uma vista do topo da cascata, é aí que se inicia a caminhada de Fimmvörðuháls até Þórsmörk (geralmente encerrada no inverno).

Svartifoss 

No centro do Parque Nacional de Vatnajökull, encontram a cascata Svartifoss. Uma das mais pitoresca e sem dúvida a que tem o melhor enquadramento natural com as suas colunas de basalto pretas. Para aceder a esta cascata é preciso caminhar cerca de 1h passando primeiro por outra cascata, Hundafoss. Os últimos metros são muiito escorregadios, se tiverem chuteiras de neve não se esqueçam delas no carro (não estou a dizer isto por acaso…).

Kirjufell

Este ponto turístico não é famoso pela cascata em si, mas sim pela montanha que se encontra em frente. Não deixa de ser uma cascata impressionante no inverno e a paisagem é de uma beleza estonteante. Foi o nosso primeiro grande impacto por terras islandeses. Gostamos tanto que voltamos lá no dia seguinte de manhã cedo. Para além das cores serem mais lindas, havia menos gente.

Dettifoss 

Para quem tenciona dar a volta à ilha, esta é uma paragem obrigatória. A cascata Dettifoss é das mais poderosas da Europa! Não é muito alta (apenas 45 metros de altura), mas tem cerca de 100m de largura e a força da água é verdadeiramente impressionante.  Tivemos muita pena em não poder esticar a road trip até lá, mas é apenas mais uma desculpa para lá voltar.

islandia inverno cascata

islandia inverno skogafoss

 Os glaciares

Mais de 10% da Islãndia está coberta por glaciares! A cor dos glaciares deve-se à compressão das várias camadas de neve que se vão acumulando umas em cima das outras, comprimindo cada vez mais as camadas inferiores. O mais giro dos galciares é que estão em constantemente em movimento criando as magníficas grutas de gelo. Essas grutas só podem ser visitadas entre Novembro e Março com a presença de um guia.

Sabiam que? Vários glaciares da Islândia formaram-se por cima de vulcões ativos. Quando estes entram em erupção, o glaciar derrete tão rapidamente que cria rios devastadores chamados Jökulhlaup.

Glaciar Vatnajökull

Não só é o maior glaciar da Islândia como também é o maior da Europa! Localizado do sudeste da ilha fica a 5h de Reykjavík o que obrigada a passar pelo menos uma noite lá perto. O vulcão mais ativo do país encontra-se nesse glaciar e esteve em erupção entre Agosto 2014 e Fevereiro 2015. Foi nesse glaciar que visitamos duas grutas de gelo com um guia através da empresa Guide to Iceland.

Outro local a não perder nessa região é a laguna glaciar de Jökulsárlón. É aí que se encontra o lago mais profundo da Islândia. Numerosos blocos de gelo (mini-icebergues), que se desprendem do glaciar Vatnajökull, flutuam nessa laguna até chegar ao mar onde são depois espalhados pelas ondas na praia de areia preta que aí se encontra. Essa praia tornou-se famosa na Islândia, mais conhecida pelo nome de Diamond Beach, a praia dos diamantes. Um imperdível na Islândia no inverno.

Glaciar Langjökull

Este é o segundo maior glaciar da Islândia e o seu nome significa “glaciar comprido”, nome dado pela sua forma. Está localizado mais a oeste, nas Highlands, sendo possível realizar excursões a partir de Reykjavík,

Glaciar Hofsjökull 

Também localizado nas Highlands, é o terceiro maior glaciar da Islândia apenas acessível em jeep e de preferência com um guia.

Glaciar Snaefellsjökull

Este glaciar encontra-se no Parque Nacional de Snæfellsjökull, fica perto de Kirjufell e formou-se por cima de um vulcão! É possível dar a volta à península no inverno parando em vários locais interessantes, como a cratera do vulcão Saxhóll e a praia Skarðsvík.

islandia inverno

islandia inverno

islandia inverno glaciar

 As termas

A Islândia não é só famosa pelas suas paisagens cinematográficas, também se tornou famosa pelas suas termas de água aquecidas pelo calor geotérmico da terra vulcânica. Não é por nada que é conhecida pelo nome de “Terra do fogo e gelo”. Tomar banho nas termas rodeados pela neve é uma experiência única e típica da Islândia.

Termas de Geosa

Localizadas em Húsavík no norte da Islândia, estas termas foram inauguradas há bem pouco tempo. Têm como particularidade o facto de usarem água do mar que é depois aquecida no interior da terra. Tudo de forma natural! Essas termas para além de terem efeitos terapêuticos e relaxantes, proporcionam uma vista única sobre os magníficos fiordes de Eyjafjörður.

Entrada: 4300 ISK (~31€), aluguer de toalha: 800 ISK (~6€). Para mais informações consultem o site oficial

Termas de Myvatn

Uma laguna muito parecida à Blue Lagoon com uma água turquesa aquecida de forma natural. Para quem tenciona dar a volta à ilha, é uma paragem obrigatória!

Entrada: 4500 (~33€), aluguer de toalha: 850 ISK (~6,30€). Para mais informações consultem o site oficial

Secret Lagoon

Localizadas no Círculo Dourado, estas termas são na realidades antigas piscinas cuja água é aquecida de forma natural. Pela sua localização acaba por não ser tão sossegada como as anteriores, mas pode ser uma alternativa à Blue Lagoon para aqueles que não tencionam dar a volta à ilha.

Entrada: 3 000 ISK (~22€). Para mais informações consultem o site oficial.

 A Blue Lagoon

O preço exorbitante deste local quase que nos obrigou a tirá-lo da lista. Contudo, apesar do valor exagerado, vale a pena visitar este sítio pelo menos uma vez na vida. Portanto, se estiverem a visitar a Islândia recomendo guardar umas horas no fim da viagem para relaxar nestas águas quentes. O ideal é ficar lá até à noite altura em que fica mais sossegado. Apesar de termos ido num sábado à tarde conseguimos encontrar lugares mais resguardados. Estivemos praticamente sozinhos a relaxar e conversar toda a tarde. Experimentamos as máscaras faciais de sílica (“gratuitas”) e desfrutamos de uma bebida fresca no bar da lagoa (incluído no preço do bilhete). Entramos às 16h e saímos por volta das 20h, completamente relaxados antes de apanhar o nosso voo de regresso durante a madrugada. Não nos arrependemos, muito pelo contrário.

Entrada: o preço varia segundo a hora de entrada, custa geralmente 57€ para entrar às 20h, 77€ às 19h e 86€ nos restantes horários. É obrigatório comprar previamente os bilhetes no site da Blue Lagoon, indicando a hora pretendida (depois de entrar podem ficar até encerrar). Recomendo reservar com pelo menos uma semana de antecedência.
islandia blue lagoon

ACTIVIDADES NA ISLÂNDIA NO INVERNO

 Observar auroras boreais

Sem dúvida uma das melhores experiências que tivemos. Na Islândia podem observar auroras boreais entre Setembro e Abril, altura em que as noites são suficientemente longas para admirar esse fenómeno. No verão a noite é praticamente inexistente sendo por isso impossível observar as auroras. No entanto, viajar no inverno não garante a observação de auroras. É preciso reunir duas condições essenciais: um céu relativamente limpo e um bom índice kP. O índice KP é um valor entre 0 e 9 que representa a actividade geomagnética. A partir de 3 já têm uma boa probabilidade em observar auroras, a partir de 5 a atividade geomagnética é intensa. Na semana em que lá estivemos o índice kP máximo foi de 4.

Dicas para observar auroras

  • 1º passo: o céu tem de estar relativamente limpo
  • 2º passo: averiguar o índice kP na aplicação Aurora Forecast e ativar um alarme no Aurora Alerts (podem indicar a vossa localização e escolher um raio dentro do qual podem ser avisados em caso de aparecimento de aurora).
  • 3º passo: se as previsões indicarem um índice kP superior a 3 durante a noite e se sentirem motivados equipem-se para o frio.
  • 4º passo: procurar no google maps um local relativamente afastado das grandes cidades e com boa visibilidade para estacionar o carro e esperar. Alguns spots que recomendamos: Kirjufell, a península de Snæfellsjökull, na estrada nº1 entre Vik e Selfoss (foi onde tiramos as melhores fotografias), perto de Grindavík (foi onde observamos a maior aurora, mesmo por cima de nós). O norte e a costa oeste são excelentes locais para observar auroras pois não tem tanta poluição luminosa, um  local que nos recomendaram: nos arredores de Mývatn.
  • 5º passo: montar o tripé! Esta é uma etapa essencial, quando aparecer a aurora vão ficar tão desnorteados que não vão ter tempo para isso. Foi o que nos aconteceu quando vimos a maior aurora da nossa viagem e ficamos sem fotografias.
  • 6º passo: esperar e ter muita paciência. O ideal é viajar com várias pessoas e dormirem à vez. A pessoa que ficar acordada tem de ficar bem atenta pois uma aurora pode durar 1h como também pode durar apenas 10 minutos.

aurora boreal

aurora boreal

 Visitar uma gruta de gelo

Como já disse mais acima, as grutas de gelo só podem ser visitadas com guia entre Novembro e Maio. É uma atividade bastante cara, gostamos da experiência, mas achamos a gruta muito pequena e a visita muito curta para um valor tão exorbitante (145€ por pessoa com a Guide to Iceland).

ice cave islandia

Experimentar Ice Climbing

Uma experiência única para quem procura uma atividade fora do comum. É possível realizar essa atividade em vários glaciares, mas o melhor parece ser o Vatnajökull.

 Moto de neve

Se gostarem desse tipo de atividade é possível andar numa moto de neve em cima de um glaciar, a excursão mais famosa é no glaciar Langjökull com departe perto da cascata Gullfoss. É preciso contar no mínimo 150 euros por pessoa para 30minutos.

 

Então ficaram convencidos? Se tiverem dúvidas ou se quiserem partilhar a vossa experiência na Islândia no inverno, não hesitem em deixar um comentário 🙂

AS FERRAMENTAS INDISPENSÁVEIS PARA ORGANIZAR UMA VIAGEM:

 Podem encontrar aqui os melhores voos: Skyscanner ou Momondo

 Para encontrar as melhores promoções e reservar o vosso alojamento recomendamos o Booking

 Façam sempre um bom seguro de viagem, os Seguros Iati têm atendimento em português, são especializados em viagem e não cobram franquia! Se realizarem a compra através do nosso link têm direito a 5% de desconto em qualquer seguro.

Procurem as melhores excursões e comprem os vossos bilhetes para as melhores atrações na GetYourGuide

 Poupem em taxas de levantamento usando o Cartão Revolut.

TUDO PARA UMA VIAGEM PERFEITA

...

O MELHOR HOTEL AO MELHOR PREÇO



Booking.com

UM CRÉDITO PARA A PRÓXIMA VIAGEM

O MELHOR SEGURO EM PORTUGUÊS

* Se realizarem a vossa reserva através de um dos links do nosso blogue, estarão a ajudar a desenvolver os Destinos Vividos, e o melhor disto, é que não pagam nada a mais por isso. Obrigada*

blogue viagens

2 thoughts on “Islândia no Inverno | Uma viagem a não perder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *