Visitar o Machu Picchu

Visitar o Machu Picchu

Visitar o Peru e não visitar o Machu Picchu, será que alguém faz isso? Acho pouco provável, mas pode vos acontecer se não planearem bem a vossa viagem! Fruto do seu sucesso, o Machu Picchu é agora um dos sítios mais visitados do mundo, tendo sido limitado o seu acesso a 2500 pessoas por dia. Será escusado dizer que os bilhetes esgotam vários dias antes na época alta, por isso não estejam à espera de chegar ao Peru e visitar o Machu Picchu uns dias depois sem mais nem menos. 

 

Para vos facilitar essa tarefa, preparei para vocês um Guia bastante completo sobre como visitar o Machu Picchu.

Qual a melhor altura para visitar o Machu Picchu?

Existem duas épocas no Peru, a época baixa (época da chuva) que se estende de Novembro a Abril e a época alta (seca) que se estende de Maio a Outubro. Os meses mais frequentados são Julho e Agosto e os meses com mais chuva Janeiro e Fevereiro. Além disso, é preciso ter em conta que o caminho Inca (ou Trilha Inca) fecha no mês de Fevereiro devido ao risco associada às chuvas torrenciais. No entanto, todos os outros caminhos ficam abertos, incluíndo o Salkantay bem como o acesso ao Wayna Picchu e a Montanha Machu Picchu. Sendo uma zona muito montanhosa a probabilidade de chover está presente o ano inteiro. Existem vantagens e desvantagens para cada uma das épocas, com a chuva as paisagens ficam mais verdes e há menos turistas, com o “sol” as caminhadas tornam-se mais agradáveis e seguras, mas também há mais gente.

Os meses que recomendamos: Maio, Junho, Setembro e Outubro.
Os meses a evitar: Janeiro e Fevereiro.
O dia da semana a evitar: Domingo (e feriados nacionais).

Como chegar ao Machu Picchu?

Existem 3 maneiras diferentes para lá chegar. A diferença entre as 3? Os preços e durações dos trajectos. Resumidamente:

1 – Em modo “tenho algum tempo e quero poupar ao máximo” (transportes públicos + a pé)
2 – Em modo “não tenho tempo, mas tenho dinheiro” (comboio)
3 – Em modo “tenho muito tempo e não tenho medo de caminhar vários dias” (diversos trilhos disponíveis)

Independentemente do modo que escolherem, independentemente da meteorologia e independentemente de todas as vossas expectativas, a vossa chegada ao Machu Picchu será inesquecível. Quanto a nós optamos pela segunda opção e não nos arrependemos. No entanto, se tivéssemos mais tempo e uma boa preparação física faríamos sem dúvida o Salkantay trek.

1 – Chegar ao Machu Picchu de forma económica 

Sem dúvida a opção menos turística, mais económica e a favorita dos “mochileiros”. É preciso ter pelo menos 2 dias para fazer a ida e volta de Cusco de transportes públicos até Hydroelectrica e depois a pé até Aguas Calientes, gastam assim um total de apenas 15€ ida e volta por pessoa.

Para resumir têm de apanhar um van de Cusco até Hydroelectrica, esse trajecto custa apenas 15€ ida e volta. Perguntem no vosso hotel ou a locais para saber a paragem exacta. Esse trajecto é bastante longo e assustador. Se chegarem a hydroelectrica depois das 16h recomendo passar aí a noite antes de seguir viagem, pois ainda terão 2h de caminhada até Aguas Calientes. A caminhada em si é muito fácil com paisagens fabulosas, basta seguir o caminho de ferro.

Há quem opte por visitar o Machu Picchu na manhã seguinte e ainda apanhar o van de tarde para Cusco, por isso é possível visitar em apenas 2 dias, mas será cansativo!

2 – Chegar ao Machu Picchu de comboio

Claramente uma experiência em si. A experiência melhora com a quantidade de dinheiro que tiverem disponível para gastar nesta viagem. Se esta for a vossa escolha recomendo aproveitar uma visita a Ollantaytambo e apanhar o comboio de lá, para além de ficar mais barato poupam tempo em trajectos.

Existem duas companhias que efectuam o trajecto até Aguas Calientes: Peru Rail e Inca Rail.  Tivemos a oportunidade de experimentar as duas e se compararmos as “classes económicas” de cada uma delas recomendamos sem dúvida a Inca Rail. Mas existem outras classes.

A Inca Rail  sai apenas de Ollantaytambo, podem deixar gratuitamente as mochilas na estação de comboio para visitar Ollantaytambo antes de apanhar o comboio. Existem 3 classes diferentes, a mais económica é a classe “The Voyager” (55 a 80 USD a ida com uma duração de ~2h00) e foi essa que escolhemos, partimos às 16h30 de Ollantaytambo e chegamos a Aguas Calientes 2h depois. Na estação têm uma área de estar com bebidas à disposição e servem um lanche a bordo, adoramos a viagem.

A Peru Rail sai de Poroy por ~80-90 USD (e não de Cusco!! ainda são 11,5 kms até Cusco) ou de Ollantaytambo (~60 USD). A estação de Poroy encerra entre Janeiro e Abril! Escolhemos sair às 15h20 de Aguas Calientes e só chegamos às 19h20 a Poroy, não servem lanche, o atendimento não é o mesmo, o comboio na classe económica (Expedition) tem janelas panorâmicas, mas é muito mais desconfortável que os comboios da Inca Rail.  Se tiverem possibilidades financeiras para isso, existe um comboio de luxo da Peru Rail, mais conhecido como Belmond Hiram Bingham (475 USD) que a atriz Sara Prata experimentou na sua recente viagem ao Peru, parece ser uma experiência e tanto. 

Podem comprar os respetivos bilhetes nos seguintes sites: Inca Rail ou Peru Rail.

DICA: mal saibam a data exacta da vossa visita ao Machu Picchu comprem o bilhete de comboio, pois quanto mais cedo maior a probabilidade de apanhar os lugares mais baratos. Em ambas as companhias é preciso estar 30 minutos antes na estação, no caso da Inca Rail têm de mostrar o comprovativo da compra online para vos fornecerem os bilhetes oficiais, o documento que recebem por mail não é o bilhete!

3 – Fazer um trek até o Machu Picchu

Não podia não falar do Inca Trail ou Caminho Inca, a caminhada mais famosa de toda a América Latina. Não é a forma mais barata de chegar ao Machu Picchu, nem a “mais autêntica”. Infelizmente agora está tudo super controlado, esta caminhada é a única a ter um limite diário, apenas 500 pessoas por dia é que se podem aventurar neste trilho e esse número já inclui guias e as pessoas que carregam o material todo. A grande vantagem deste trek é ser o único que permite chegar diretamente ao Machu Picchu com uma vista sensacional, passando pelo Inti Punku. Também permite visitar alguns sítios incas como o Runcuracay, Sayacmarca, Phuyupatamarca, Wiñay Wayna e Llactapata. O caminho Clássico faz-se em 4 dias/3 noites sendo obrigatório passar por uma agência ou contratar um guia privado. Fica entre 500 a 600€ por pessoa numa agência. Sim, leram bem. Trata-se de uma caminhada exigente devido à altitude e às distâncias percorridas (média de 15 kms por dia). Existe uma versão Express em 2 dias/1 noite que consiste em fazer os últimos dois dias do caminho Clássico. A caminhada inicia-se diretamente no Wiñay Wayna que fica a apenas 2 600m de altitude, sendo assim uma caminhada mais fácil. Fica por 280 a 330 € por pessoa.

Uma boa alternativa que combina várias atividades juntamente com a caminhada do Inca Trail é uma excursão de 4 dias entre Cusco e o Machu Picchu com um misto entre caminhada, bicicleta e rafting. Conhecemos pessoas durante a nossa viagem que tinham optado por esta excursão menos conhecida e que adoraram, ficamos com pena de não o ter feito. Recomendamos esta agência: Inkayni Peru Tours

O Inca Trail encontra-se encerrado durante o mês de Fevereiro!

Outro Trek muito conhecido, mas muito menos frequentado é o Salkantay Trek. Uma caminhada alternativa que foi nomeada como uma das mais belas caminhadas do mundo pela National Geographic. Existem vários trilhos, mas geralmente faz-se em 5 dias/4 noites passando pela cordilheira de Vilcanota, irão perder-se em vários sítios arqueológicos, atravessar florestas húmidas e admirar cascatas isoladas rodeadas por orquídeas. Querem uma experiência única? Querem percorrer vários mundos numa só caminhada? Então não vão querer perder o Salkantay Trek.

Para comprar a excursão com uma agência fiável recomendamos o seguinte site: Salkantay Trek

De Águas Calientes até o Machu Picchu

Uma vez em Águas Calientes ainda têm de subir até à entrada do Machu Picchu. Podem subir de duas formas:

 A pé

Demoram entre 1h30 a 2h para subir até o Machu Picchu. Se optarem pelo bilhete que inclui o Wayna Picchu ou a Montanha Machu Picchu, não recomendo subir a pé para poupar energias, também não recomendo subir durante o dia, quando descemos passamos por várias pessoas que estavam muito aflitas com o calor. A grande maioria das pessoas começa a subir por volta das 4h00-4h30 para chegar antes do Machu Picchu abrir (6h00), nesse caso não se esqueçam de levar lanternas frontais, o caminho faz-se no meio da selva por uma longa escadaria.

De autocarro

Podem optar por subir de autocarro por 12 USD (24 USD a ida e volta) o trajecto demora 20 minutos. O primeiro autocarro sai às 5h30 e tem apenas 30 lugares sentados. Se quiserem apanhar o primeiro será preciso estar lá antes das 04h00 (sim leram bem), chegamos às 4h15 e entramos no segundo autocarro. A verdade é que os 3 primeiros autocarros saem todos seguidos porque ficam logo cheios. Já estava a amanhecer quando subimos por isso tivemos uma vista espectacular durante todo o caminho. Depois de fazer o caminho a pé para descer, ficamos bem contentes por ter subido de autocarro, no meio de tantas caminhadas teria sido bastante cansativo e além disso não teríamos aproveitado a vista de todo o meio envolvente ao amanhecer. Podem comprar os bilhetes em Cusco (Avenida Infancia nº433 ou Avenida el Sol nº380) ou em Águas Calientes (Avenida Hermanos Ayar S/N, 5h – 21h30). 

 

Que bilhete escolher?

Existem 3 bilhetes diferentes para o Machu Picchu:

Machu Picchu, Grupo 1 (06h00-12h00), Grupo 2 (12h00-17h30): 152 soles ~40€
Machu Picchu + Wayna Picchu, Grupo 1 (07h00-08h00), Grupo 2 (10h00-11h00): 200 soles ~53€
Machu Picchu + Montanha, Grupo 1 (07h00-08h00), Grupo 2 (09h00-10h00): 200 soles ~53 €

A hora indicada corresponde à hora em que podem entrar. Supostamente, se escolherem o bilhete Machu Picchu Grupo 1, só podem ficar lá até às 12h, mas na realidade ninguém controla. No entanto, podem não vos deixar entrar se tiverem um bilhete Grupo 1 e se apresentarem às 11h30… Além disso, o percurso é “de sentido único” e não dá para voltar para trás, portanto aproveitem bem cada local.

Quanto aos outros dois tipos de bilhetes que têm maiores restrições no horário, é importante chegar a horas! Se escolherem o bilhete Machu Picchu + Wayna Picchu Grupo 1 por exemplo, e chegarem às 08h15, já não vos deixam entrar!

Qual a diferença entre o Wayna Picchu e a Montanha Macchu Picchu?

Começando pelo mais famoso, o Wayna Picchu. Estão a ver aquela fotografia típica do Machu Picchu? Aquela fotografia com uma montanha logo atrás? Bem essa é a montanha Wayna Picchu , e podem subir ao topo (2 700m de altitude). O acesso está limitado a 400 pessoas por dia (200 pessoas por grupo) e os bilhetes chegam a esgotar 3 a 4 meses antes! A caminhada em si não é fácil e muito vertiginosa, há quem consiga subir e descer em menos de 2h outros que demoram mais de 3h.

Agora falando da Montanha Machu Picchu (3 082 m de altitude), encontra-se do lado oposto ao Wayna Picchu, é muito menos conhecida por isso menos frequentada, mas não deixa de ser espectacular. Tem um limite de 800 pessoas por dia (400 pessoas por grupo), a caminhada é muito mais fácil, mas longa a ida e volta faz-se em 2 a 3h.

Onde e como comprar os bilhetes para o Machu Picchu?

Os bilhetes devem ser previamente comprados online ou diretamente lá (em Cusco ou em Águas Calientes), sendo impossível comprar os bilhetes à entrada do Machu Picchu. 

Existe apenas um único site oficial para comprar os bilhetes: machupicchu.gob.pe

O site pode não parecer muito intuitivo, mas acaba por ser relativamente fácil comprar os bilhetes. O site está em inglês, espanhol, português ou italiano. Atualmente só aceita cartões VISA.

Ao clicar no site, aparece um “COMUNICADO” que devem fechar para poder aceder à página inicial. Depois devem escolher do lado esquerdo, por cima do calendário, o lugar a visitar entre as 3 opções disponíveis:

MACHUPICCHU
MACHUPICCHU + WAYNA PICCHU
MACHUPICCHU + MONTAÑA

Escolham depois no calendário a data pretendida e poderão ver em cima os lugares ainda disponíveis para esse dia, colocam o número de bilhetes que querem e seguem então para o segundo passo que consiste em preencher os dados pessoas. Muito cuidado nesta etapa para não se enganarem. No passo 3 poderão verificar novamente todos os dados inseridos, deverão inserir um e-mail válido e aceitar os termos antes de clicar em “reservar”.

Irá abrir-se uma janela pop-up com o formulário de reserva, NÃO É o bilhete e NÃO DEVEM fechar essa janela. Nesse formulário de reservar aparece um código de reserva que devem copiar. Depois abram novamente o site e carreguem no separador que diz “Pagos”, colam aí o código de reserva e validam. Irá aparecer o site para realizar o pagamento. Após realizar o pagamento irão receber os bilhetes no e-mail (ou não!). Nós não recebemos, mas fomos ao site novamente, no separador que diz “reservas” e colocamos aí o código de reserva, validamos e apareceram os bilhetes.

Se quiserem comprar os bilhetes sem dores de cabeça, num site de confiança é por aqui:

Onde dormir no Machu Picchu?

O melhor é passar pelo menos 1 noite perto do Machu Picchu, antes ou depois da vossa visita. Existe apenas um hotel lá em cima junto à entrada do Machu Picchu, o Belmond Sanctuary Lodge, será escusado dizer que não é barato (no mínimo 700€ por noite). A melhor (e única) opção para os mais pobres é ficar em Águas Calientes. Aí poderão encontrar uma grande diversidade de hotéis, desde dormitórios a quartos duplos com casa de banho privada, existem opções para todas as carteiras.

Quanto a nós, já que iríamos passar apenas algumas horasg no hotel, não tencionávamos gastar muito dinheiro, tampouco ter muito luxo. Ficamos então no hotel Casa Paz, num dormitório com apenas 4 camas, ideal para nós, por apenas 9€/noite por pessoa com pequeno almoço incluído. Não recomendo nem deixo de recomendar, se como nós procuram o mais barato e conseguem abdicar de algum conforto durante 1 noite, então força, caso contrário temos mais duas sugestões:

Hostel Machu Picchu Land B&B

Quartos duplos, quartos familiares e dormitórios a partir de 30€/noite o quarto duplo com casa de banho privativa! Mesmo no centro de Águas Calientes este hotel parece muito bom em termos de relação qualidade/preço e o pequeno almoço está incluído!

Para mais informações e reservas: Hostel Machu Picchu Land B&B

 

Jaya Machupicchu

Outra excelente opção, no centro de Águas Calientes, quartos espaçosos a partir de 70€/noite, com todo o conforto dos hotéis de luxo, incluindo banheira de hidromassagem e um delicioso pequeno almoço.

Para mais informações e reservas: Jaya Machupicchu

Podem ver aqui as melhores ofertas para o Machu Picchu:



Booking.com

 

Espero que tenham gostado. Agora já estão prontos para visitar o Machu Picchu! Se ficaram com dúvidas partilhem nos comentários!

Se ainda não leram o nosso artigo completo sobre a nossa viagem ao Peru, ainda vão a tempo: Visitar o Peru | Roteiro e Dicas de Viagem.

TUDO PARA UMA VIAGEM PERFEITA

...

O MELHOR HOTEL AO MELHOR PREÇO



Booking.com

UM CRÉDITO PARA A PRÓXIMA VIAGEM

O MELHOR SEGURO EM PORTUGUÊS

* Se realizarem a vossa reserva através de um dos links do nosso blogue, estarão a ajudar a desenvolver os Destinos Vividos, e o melhor disto, é que não pagam nada a mais por isso. Obrigada*

Filha e neta de imigrantes, as malas seguem-me desde a minha infância. O meu sonho, conhecer cada recanto do nosso maravilhoso mundo, faz com que esteja constantemente a pensar na próxima viagem. Natural de França, vivo actualmente no Porto, onde sou médica nas horas de trabalho e viajante nos meus tempos livres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *