5 razões para visitar Florença

5 razões para visitar Florença

Florença, capital cultural de Itália, onde a arte, a gastronomia e a natureza se juntam numa harmonia perfeita. Como não se apaixonar por esta cidade? As ruelas pitorescas de Florença transpiram história e romantismo. Se ainda não ficaram convencidos aqui ficam 5 razões para visitar esta deslumbrante cidade.

1 – Cada esquina, cada iguaria

Lá está ela a falar de comida. Pois, mas a verdade é que falar de Florença sem falar de comida seria como falar de Paris sem falar de arte. Pappa al pomodoro, Tripes alla fiorentina, Lampredotto, Panzanella, Pappardelle sulla lepre, estes são alguns dos pratos típicos da região. Para os apreciadores de sobremesas e doçarias, não deixem de provar o famoso schiacciata alla fiorentina com sabor a baunilha e limão, bem como os cantuccini embebidos em vinho Santo, vinho típico da região frequentemente servido com este biscoitos.

Se há algo que não podem deixar de provar em Florença é o salame!! Das melhores lembranças que levamos desta cidade. O melhor sítio para o provar é no All’ Antico Vinaio ou no Alimentari Uffizi. Acreditem, não se irão arrepender.

Em Florença não faltam gelatarias artesanais, não as experimentamos todas (mas quase) e uma que recomendamos é o Café del Borgo.

Podem consultar no seguinte mapa as nossas sugestões em Florença:

2- Ruas pitorescas sem alcatrão

O charme de Florença está nas suas calçadas de pedras, as suas casas pitorescas e os seus habitantes sorridentes. Aqui (quase que) não há alcatrão! Uma cidade construída em tons harmoniosos, como se de um quadro se tratasse. Cada rua com o seu charme, todas diferentes e parecidas ao mesmo tempo, sendo que a grande maioria das ruas do centro histórico são pedonais.

Rio Arno

Quando estiverem em Florença esqueçam durante um momento os mapas, sigam apenas os vossos passos, sem rumo. Enquanto degustam um gelado artesanal, observem a animação da cidade ao vosso redor, sintam o cheiro do pão quente, ouçam a campainha da bicicleta atrás de vocês… Desfrutem e apaixonem-se.

3- Uma cidade que se admira nas alturas

Antes da vossa estadia em Florença preparem-se para subir muitas escadas, o esforço valerá a pena. Um dos incontornáveis da cidade: subir à cúpula do Duomo da Catedral Santa Maria del Fiore construída por Brunelleschi. A nossa opinião? A vista da torre do Campanilo é bem mais deslumbrante por ter vista sobre a famosa cúpula. A construção da colossal cúpula do Duomo terminou em 1436, esta maravilha arquitectónica diferencia-se pelo seu perfil arredondado bem diferente do estilo gótico.  

Vista do topo do Duomo de Florença

Duomo de Florença – Informações úteis

Existe um bilhete único que engloba a entrada na catedral, batistério, Campanário, o museu, a cripta e a cúpula: 15€ Podem comprar o bilhete aqui: Site oficial

Depois de comprarem o bilhete deverão escolher o dia e o horário para subir à cúpula. É obrigatório reservar um horário! No dia da visita basta chegar 10 min antes do horário escolhido. Para as outras componentes do bilhete não há obrigatoriedade em reservar um horário. Para subir à torre do Campanário de Giotto recomendamos ir bem cedo para evitar as filas.

É imprescindível comprar os bilhetes com antecedência se quiserem subir à cúpula do Duomo. Se forem na época alta convém comprar com “algumas semanas” de antecedência, principalmente se quiserem subir à cúpula ao fim de semana. Se forem na época baixa, uns dias antes é suficiente.

Outra subida de escadas incontornável é a torre do Palácio Vecchio, outrora conhecido como Signoria. O Palácio foi a residência dos governadores da Florença medieval. Do seus 94 metros de altura, a torre oferece uma vista privilegiada sobre o rio Arno que divide a cidade. A beleza do edifício, tipicamente medieval, deve-se ao design de Arnolfo di Cambio. Para além da vista também poderão admirar a magnífica sala dos Cinquecento .

Vista da torre do Palácio Vecchio

Palácio Vecchio – Informações úteis

Podem adquirir os bilhetes no Site Oficial ou directamente à entrada. Em Maio fomos às 15h e não havia fila, compramos o bilhete e subimos logo em seguida. A torre tem 223 degraus até o topo.

  • Torre: 10€ (8€ para jovens até os 25 anos e estudantes)
  • Torre + museu: 14€ (12€ para jovens até os 25 anos e estudantes)
  • Torre + museu + percurso arqueológico: 18€ (16€ para jovens até os 25 anos e estudantes)
  • Gratuito para < 18 anos

Por fim, outra vista incontornável da cidade, onde não é necessário subir tantas escadas é a praça de Michelangelo. Apesar de ficar fora do centro histórico e de ser apenas um enorme parque de estacionamento, esta praça proporciona a melhor vista da cidade. Por isso, todos os dias, ao pôr-do-sol, centenas de pessoas juntam-se na escadaria para admirar a transformação de Florença e a iluminação progressiva da magnificente cúpula do Duomo erguendo-se acima dos telhados florentinos.

Vista da praça Michelangelo

4- Um museu ao ar livre

O centro da cidade de Florença está divido em 6 bairros históricos: Santa Maria Novella, Santa Croce, San Lorenzo, San Marco, Duomo e Uffizi. Do outro lado do rio temos os bairros Pitti e Michelangelo. Podem explorar cada bairro no seguinte site: Mapa dos bairros.

Ponte Vecchio do lado esquerdo

Uma amiga disse-me antes de ir para Florença “o que há de melhor para se fazer em Florença é passear pelas ruas sem destino“. Para quem nos conhece, sabem que gostamos de explorar ao máximo os sítios que visitamos, então esse conceito de andar à deriva pela cidade não me soava bem. Ao chegar a Florença percebi. Não me quero prolongar para não estragar a experiência de quem vai visitar esta cidade pela primeira vez. Vão, não pensem muito, apenas desfrutem do prazer que é passear por estas ruelas. Cada bairro tem um monumento, uma igreja, uma praceta. Um autêntico museu ao ar livre.

Pôr do sol no rio Arno

5- Um ponto estratégico para visitar a Toscana

Florença, capital da Toscana, encontra-se estrategicamente localizada, permitindo visitar várias cidades e pontos turísticos de grande beleza. Podem fazer as seguintes visitas em 1 ou 2 dias partindo de Florença de carro ou de comboio:

  • Pisa

Para além da Piazza dei Miracoli, inscrita no património mundial da UNESCO desde 1987 e que reúne a famosa torre inclinada, o fabuloso batistério e a Catedral, Pisa tem muito para oferecer. Vale a pena caminhar até as margens do rio Arno, admirar o Murale Tuttomondo do artista Keith Haring e visitar a igreja Santa Maria della Spina.

Como chegar: autocarro ou comboio partindo da estação Santa Maria Novella. Duração do trajecto: ~1h.

  • Lucca

Cidade repleta de igrejas de estilo pisano e palácios renascentistas, a cidade medieval pode ser percorrida a pé ou de bicicleta. Poderão visitar o anfiteatro romano, subir à torre Guinigi e admirar o magnífico Duomo.

Como chegar: de Pisa podem apanhar o autocarro ou o comboio sendo que o trajecto dura cerca de meia hora. De Florença o comboio sai da estação Santa Maria Novella e demora cerca de 1h20 até Lucca.

Lucca (fonte: Beyond Toscano)
  • Siena

Talvez a excursão mais famosa a partir de Florença, Siena está inscrita no Património Mundial da UNESCO desde 1994. Esta cidade é uma das jóias artísticas de Itália, ancorada na suas tradições, a sua praça central, a Piazza do Campo, é uma obra-prima do urbanismo medieval e o cenário do Pálio que decorre em Julho e Agosto (corrida de cavalos mundialmente conhecida na qual se enfrentam os 17 bairros da cidade). Nessa praça ainda é possível subir a Torre de Mangia, que dos seus 87 metros de altura, oferece uma vista deslumbrante sobre um emaranhado de ruelas repletas de palácios góticos e renascentistas.

Tal como Florença, Siena deve ser visitada a pé, percorrendo as ruas empedraras até uma das mais belas obras de arte da Idade Média: o Duomo dell’Assunta, de estilo românico-gótico, onde trabalharam artistas como o Donatello, Giovanni, Nicola Pisano, Arnolfo de Cambio e Pinturicchio. 

Como chegar: de autocarro ou comboio partindo da estação Santa Maria Novella. Duração do trajecto: ~1h20

Siena (fonte: Airpano)
  • San Gimignano

Conhecida como a Nova Iorque da Idade Média, rodeada por muralhas e atravessada por ruelas antigas de onde se erguem torres medievais que oferecem uma fabulosa vista sobre as colinas toscanas até à cordilheira de Pratomagno. Aqui poderão saborear um gelado Dondoli eleito o melhor gelado do mundo enquanto visitam a praça da Cisterna, a praça do Duomo, os palácios del Popolo, del Podestà, a Collegiata ou ainda o museu da tortura. O pôr-do-sol é o momento ideal para subir à Torre Grossa do Palácio del Popolo

Como chegar: partindo de Santa Maria Novella em Florença poderão ir de comboio até Poggibonsi de onde apanham o autocarro 130 até San Gimignano. Partindo de Siena podem apanhar o autocarro 130 na Praça Antonio Gramsci. De Florença contar 1h40 de trajecto e de Siena 1h.

San Gimignano (fonte: Vinho Nosso)
  • Monteriggioni

A verdadeira jóia medieval da Toscana, totalmente rodeada por uma muralha de cerca de 10 metros de altura, Monteriggioni ficou parada no tempo. Este é um tesouro bem guardado, poucos guias falam desta cidade. É possível subir e percorrer a muralha por 2€, visitar a igreja de Santa Maria Assunta ou simplesmente relaxar num pequeno café local.

Como chegar: Monteriggioni fica a 20min de carro de Sienna, mas também é possível ir de autocarro pela linha 130. De Florença parte de hora a hora o autocarro 131 em direcção a Monteriggioni (duração do trajecto: ~2h).

Monteriggioni (fonte: Monteriggioni Turismo)
  • Chianti

O vinho é o grande protagonista da rota que sai de Siena rumo a norte até às colinas do vale de Chianti, um dos principais núcleos de produção do famoso vinho italiano: Chianti Clássico.

Como chegar: de Florença podem apanhar o autocarro 365 , duração do trajecto: ~1h

 

Fica aqui uma última (e a mais importante) razão para visitar Florença: uma cidade que deslumbra por completo e que deixa marcas naqueles que por ela passam.

Se também se apaixonaram por Florença, partilhem a vossa experiência nos comentários 🙂

Filha e neta de imigrantes, as malas seguem-me desde a minha infância. O meu sonho, conhecer cada recanto do nosso maravilhoso mundo, faz com que esteja constantemente a pensar na próxima viagem. Natural de França, vivo actualmente no Porto, onde sou médica nas horas de trabalho e viajante nos meus tempos livres.

2 thoughts on “5 razões para visitar Florença

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *