Chichén Itzá – Uma maravilha do mundo maia

Chichén Itzá – Uma maravilha do mundo maia

O nosso segundo dia consistiu na visita (bem cedo) de uma das 7 maravilhas do mundo, de um magnífico cenote escondido e de uma cidade encantadora, Izamal, também conhecida como a cidade amarela. Um dia bem repleto em emoções e descobertas.

roadtrip-dia-2

VISITAR O CHICHEN ITZA

A primeira coisa a saber é que tanto o parking como as ruínas abrem as portas às 08h00 e se querem visitar este local com pouca gente e pouco calor convém estar lá um pouco antes das 8h. Quanto a nós, como turistas-fóbicos que somos, chegamos às 07h30, fomos os primeiros a chegar (no shit), mas logo depois de nós, começou-se a formar uma longa fila de carros. 

chichen itza

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

  • Chichén Itzá (08h-17h), entrada: 232 pesos 
  • Parking: 30 pesos

Ao longo do artigo iremos partilhar algumas informações que fomos recolhendo ao longo da nossa visita, isto poderá ser particularmente útil para quem pretende visitar o Chichén Itzá sem guia. Além disso, deixamos aqui este super mapa que poderão imprimir antes da viagem:

Mapa da zona arqueológica do Chichén Itzá
Mapa da zona arqueológica do Chichén Itzá

O acesso é feito pelo parking (em vermelho no mapa) e depois de seguir um pequeno caminho de terra chegam frente à pirâmide Kukulcán, a famosa pirâmide que pertence às novas 7 maravilhas do mundo. A vantagem de chegar primeiro é que podem dar a volta à pirâmide e fotografá-la de todos os ângulos sem ninguém atrás para estragar o fundo (mania de fotógrafo? talvez… ).

chichen itza

chichen itza

chichen itza

DADOS E FACTOS:

Chichén Itzá significa em maia “pessoas que vivem na beira da água”. Essa cidade terá sido criada por volta dos anos 450 AC e terá sido o principal centro político e económico da civilização maia. É possível admirar aqui uma mistura entre estilo maia e tolteca, duas civilizações que viveram nesta cidade.

A pirâmide Kukulcán, também conhecida como El Castillo, localizada no centro da cidade, possui uma altura de 30 metros. Em cada lado da pirâmide é possível observar uma escadaria, com 91 degraus, que leva até um templo localizado no topo da pirâmide. Esse templo possui um degrau à entrada. Se fizermos as contas (91 x 4 +1 ) contabilizamos no total 365 degraus, representando assim os 365 dias do calendário maia. Incrível não é?

chichen itza

Junto à “praceta central” encontra-se, mais a norte, o Jogo de Pelota. Esse jogo era um desporto mas também um ritual e foi jogado durante mais de 3000 anos, por isso existem várias versões. No entanto, sabe-se que durante a civilização maia, o vencedor do jogo era sacrificado (para a civilização maia, morrer sacrificado era uma grande honra) e a família do vencedor ficava muito orgulhosa. (Ils sont fous ces mayas!)

Jogo de Pelota no Chichén Itzá

DICA ÚTIL:

A grande maioria dos vendedores têm a crença que se não conseguirem vender nada ao primeiro cliente irão ter má sorte para o resto do dia (isto é verídico), portanto se forem os primeiros clientes de um vendedor poderão ter preços muito vantajosos. Conseguimos assim comprar uma lembrança, que custava noutros sítios entre 300-400 pesos, por 100 pesos. Pode-se questionar o facto de se estar a aproveitar da crença de uma pessoa… mas no México aprendemos uma coisa, conseguem regatear tudo por pelo menos metade do preço, os preços estão todos inflacionados para se aproveitarem dos yankees.

Do lado oposto à entrada existe um caminho que vai ter ao Cenote Sagrado. A água desse cenote estava muito suja quando lá fomos, não sei se estará sempre assim, pessoalmente não achei nada de especial.

Cenote Sagrado no Chichén Itza
Cenote Sagrado no Chichén Itzá

CREEPY STORY:

Os cenotes eram considerados sagrados para a civilização maia, e muitos sacrifícios humanos eram realizados nessas águas. Um facto interessante (ou bastante perturbador) é que as oferendas/sacrifícios realizados no cenote sagrado do Chichén Itzá eram feitos aos Deuses “Gemelos” e por isso, mais de 80% dos ossos encontrados nesse cenote pertenciam a crianças…  

Vendedores à saída do Chichén Itzá
Vendedores à saída do Chichén Itzá

CENOTE YOKDZONOT

Junto ao Chichén Itza existe um cenote muito famoso, o cenote Ik Kil. O facto de estar tão perto de uma das 7 maravilhas do mundo faz com que seja o cenote mais visitado do país. Apesar de ser um cenote muito lindo (pelo menos nas fotografias), o cenote Ik Kil já foi remodelado pelo homem, construíram casas de banho, chuveiros, escadas de cimento, o porte de colete salva vidas tornou-se obrigatório, há fila para entrar na água… vários factos que nos convenceram a optar por outro cenote menos concorrido. Se conseguirem estar lá à abertura (08h00) talvez consigam estar mais sossegados.

Abertura do cenote Yokdzonot

Quanto a nós, optamos pelo cenote Yokdzonot, localizado a menos de 20 kms do Chichén Itzá, dizem que é tão bonito como o cenote Ik Kil, no entanto, muito menos conhecido. Chegamos perto do meio dia ao cenote e encontramos apenas outro casal lá. 

cenote yokdzonot

cenote yokdzonot

cenote yokdzonot

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

  • Cenote Ik Kil (08h-17h), entrada: 70 pesos 
  • Cenote Yokdzonot (08h-17h), entrada: 70 pesos 

Próxima etapa do dia: Izamal! (Artigo em breve)

Para os que falharam a primeira etapa da viagem é por aqui: O que visitar em Valladolid e arredores

Gostaram da versão Ik Kil sem turistas? Alguma sugestão ou mais alguma história creepy sobre a civilização maia? Partilhem nos comentários 😉

.

.

Filha e neta de imigrantes, as malas seguem-me desde a minha infância. O meu sonho, conhecer cada recanto do nosso maravilhoso mundo, faz com que esteja constantemente a pensar na próxima viagem. Natural de França, vivo actualmente no Porto, onde sou médica nas horas de trabalho e viajante nos meus tempos livres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *